Investir na Bolsa de valores: Ela voou!

Investir na Bolsa de valores: Ela voou!

Investir na Bolsa de valores é curioso. Se os últimos inícios de semana na Bolsa de valores têm sido bons, esta terça com cara de segunda foi ainda melhor. Quando antecipamos na última sexta, em “Por que o mercado subiu forte?” nossa leitura sobre o impacto dos resultados e do ambiente, antevíamos uma precificação na sequência.

Os mais de R$ 7,38 bilhões em volume negociado desta segunda mostraram a força do movimento comprador “de Brasil”. Os sinais são cada vez mais claros de recuperação da atividade econômica e os resultados têm demonstrado quão deprimidos estavam os lucros das companhias brasileiras, distorcendo fortemente os múltiplos e por consequência, fazendo com que muita coisa boa estivesse fora de preço. E é para isso que nosso time trabalha de forma incansável. O índice Ibovespa em alta de 2,02%, fechando acima dos 66.700 pontos mostra quão reprimido ainda está o fluxo.

Semana passada muita gente tentou apostar contra as reformas e o movimento de transformação estrutural pelo qual a economia e a sociedade brasileira passam. Quando vimos o stress refletido nas curvas de juro, muitos de nossos clientes de Renda Fixa perguntaram se o reflexo nas posições em NTN-B’s mais longas seria uma tendência. O time liderado pelo Rafael Bevilacqua tem ressaltado que a queda dos juros reais é efetivamente estrutural e as estratégias em renda fixa podem impulsionar muito os ganhos nesta modalidade.

Hoje, nosso estrategista-chefe falou direto da Bolsa de valores sobre as reformas, sua importância e as perspectivas para o mercado. O vídeo da entrevista pode ser acessado pela página do Jornal O Globo no Facebook. As sucessivas releituras do xadrez político nacional, estão invariavelmente convergindo para um quadro de aprovação que pode funcionar como um catalisador da retomada dos investimentos. Esta é a essência que apresentamos em nosso Relatório Macro Brasil 2017.

Se o que vimos foi a Bolsa voando, não poderiam estar fora dos destaques os papéis da Azul que hoje valorizaram 6%. A análise “Conheça o plano de vôo da companhia para a Bolsa“, publicada em primeira mão no momento do IPO, mostrava a oportunidade e os riscos da tese de investimento. O bom humor do setor ecoou nos papéis GOLL4, que subiram 6,4%. Ainda acima das nuvens, o mercado pareceu frustrado com os números da Embraer. Curiosamente, o mesmo mercado que viu resultados muito consistentes há pouco mais de um mês e já havia recebido uma prévia das entregas do período. O modelo de negócios da gigante brasileira que é referência mundial na fabricação de aviões com performance eficiente e jatos executivos é de ciclo longo, e a probabilidade de um trimestre mudar o rumo das coisas é baixa. Não à toa, o relatório de Embraer chama ‘Estabilidade no Plano de Vôo”. Assimetria fica ainda mais evidente com a queda de 3,91% de EMBR3 registrada nesta terça-feira.

Conforme falamos no podcast desta manhã, o ambiente nos EUA, com a evolução das discussões orçamentárias enter Casa Branca e Capitólio, além do arrefecimento das expectativas sobre uma elevação de juros por lá na reunião do FED desta semana, ajudaram ainda mais o fluxo. Vemos boas perspectivas para a entrada de capital estrangeiro na Bolsa brasileira neste mês de maio.

Dentre os papéis da Carteira Eleven, foi dia compensar a queda de EMBR3, com fortes altas de PTBL3 +6% e PFRM3 +3,41%, além do bom comportamento de Sanepar, que subiu 1,3% com forte volume negociado. Os destaques de alta do dia ficaram para outras companhias também cobertas pela nossa equipe de Renda Variável, com Banco ABC (ABCB4), nossa top pick do setor, registrando alta de 4,66%, ARZZ3 +2,25%, CARD3 +7,86%. Em mineração e siderurgia, bom dia para Gerdau, que têm análise “expecting America great again“, com GGBR4 +2,55% e GOAU4 +2,17%. VALE5 e USIM5 também performaram bem, com valorização de 2,25% e 3,5%, respectivamente.

Hoje foi uma daqueles dias tão bons para investir na Bolsa de valores, que muito que não voou, deu chance para que investidores de valor possam aproveitar.

Mais do que uma alta de 2%, hoje foi dia de encher o peito e dizer que muito além do Ibovespa, o Brasil pode efetivamente voar! Todos à bordo que amanhã tem mais!