Afaste-se do risco, abrace a incerteza

Incerteza? Não deixe-a dominar seus investimentos.

Como vimos nas últimas semanas, se seu objetivo é formar patrimônio no longo prazo você deve procurar negócios de menor risco. No entanto, muitas vezes os agentes do mercado confundem-se entre os conceitos de risco e incerteza, e você pode tirar proveito com desta confusão. A História nos diz que grandes investimentos apresentavam, a priori, uma ampla gama de resultados potenciais possíveis. O desempenho futuro desses negócios à época era permeado por uma ou mais fontes de incertezas.

A maioria dos investidores detesta a incerteza, e isso reflete diretamente no preço das ações desses negócios. Investidores de sucesso pensam em toda a gama de possibilidades e analisam se conseguem ficar confortáveis quando apesar da incerteza sobre qual cenário de fato irá se concretizar (incerteza), as chances de perda permanente de capital (risco) são extremamente baixas. Aqui estão alguns cenários que provavelmente levarão a um preço de ações deprimido:

·       Alto risco, baixa incerteza.

·       Alto risco, alta incerteza.

·       Baixo risco, alta incerteza.

A quarta combinação lógica, de baixo risco e baixa incerteza, é muito apreciada pela maioria do mercado. Justamente por esse motivo, ações como Ambev, Ultrapar ou Arezzo são negociadas a valuations justamente mais elevados. Lembre-se, boas empresas nem sempre dão bons investimentos. Para os apreciadores da beleza do investimento de valor, é a combinação de alta incerteza com baixo risco, que nos dá as melhores chances alcançar resultados expressivos. Cara que eu ganho, coroa, eu não perco muito, ensinou o investidor indiano Mohnish Pabrai.

Nós procuramos empresas do terceiro grupo: afaste-se do risco, abrace a incerteza. Dessa forma há uma chance significativa de você obter altos retornos sobre o seu investimento e uma pequena chance de perder alguma parte desse valor.

Um bom exemplo desse caso é a empresa do ramo de cerâmica Portobello. A small-cap, presente na Carteira Eleven desde o início do ano, está diante de uma gama enorme de possibilidades à frente. Incertezas quanto ao grau da recuperação econômica no Brasil e sua velocidade, execução de sua operação em importações, redução da dívida, e da aceitação da nova marca para a classe C/D impõem uma série incontável de cenários prospectivos.

Mas vejamos: mesmo em um contexto de crise econômica, a empresa foi capaz de gerar caixa e reduzir seu endividamento. Dona de uma marca forte, associada à qualidade de seus produtos, com um público fiel no segmento AB. Sua ação ainda encontra-se fora do radar das grandes instituições, ou ao menos fora do seu alcance, em função da liquidez reduzida, o que também contribui para estar tão “descontada”. Por outro lado, as opcionalidades são quase todas positivas: o ponto de inflexão no mercado interno nos parece próximo, entrando em um novo ciclo de crescimento de receitas e ganho de margens. A aceleração das exportações também não está precificada e pode gerar bastante valor ao acionista nos próximos anos.

Por algum período, o Sr. Mercado, nosso amigo bipolar, nos oferece uma oportunidade de investimento com muita incerteza, mas baixo risco. Pouco downside em troca de um alto upside potencial associado. Com a vantagem de que as chances de obter cara eram bem maiores do que os 50% de um cara ou coroa, e se surgissem as “coroas”, simplesmente significa que perderíamos pouco dinheiro.

O medo e a ganância são fundamentais para entender a mente humana. Conduzimos as decisões de compra e venda nos mercados de ações, o preço será afetado por esses sentimentos. O medo extremo do que não pode ser conhecido de antemão gera um comportamento irracional.

“Nossas dúvidas são traidoras e nos fazem perder o que, com frequência, poderíamos ganhar, por simples medo de arriscar.”

William Shakespeare

Nessa situação, o mercado de ações se assemelha a um teatro cheio. Alguém ouve algum som e grita “fogo, fogo” e há uma corrida louca em direção à saída. No teatro chamado mercado de ações, você só pode sair se alguém comprar seu assento. Se houver uma fuga em massa para deixar o teatro, que supostamente está em chamas, a que preço você acha que esses assentos serão vendidos? Portanto, compre assentos onde há uma fuga em massa e você sabe que não há fogo real, ou está bem  encaminhado para ser apagado. Leia vorazmente e espere pacientemente.

E tenha absoluta convicção de que essas assimetrias irão aparecer.

Ótimo domingo!

André Prates

Acompanhe no Twitter: @apratesr