O que define o futuro do mercado?

spotx 2018

O que define o futuro do mercado?

“A economia, a métrica, a certeza como a conhecemos, morreram ao longo do tempo. E, diante disso, a única convicção de que nos resta é que o mercado financeiro está em absoluta transformação”. Essa foi a reflexão que conduziu a palestra do estrategista-chefe da Eleven, Adeodato Netto, na primeira edição do SpotX.

O evento foi realizado no dia 25 de julho pelo site de notícias político-econômicas Spotniks, no Teatro das Artes, em São Paulo, e reuniu diversos especialistas para falar sobre economia, política, empreendedorismo e outros assuntos de interesse nacional. O objetivo foi pensar o futuro do país para o ano de 2030.

E quando falamos de mercado em transformação, estamos falando de: pessoas. O economista Herb Simon dizia que o termo “economia comportamental” parece ser um pleonasmo, já que toda a economia se baseia em comportamentos humanos e a área não existe sem a interferência dessas ações. Por isso, prever o mercado futuro só é possível quando os cenários são analisados e existe uma matemática por trás. Afinal, se investir fosse fácil, todo mundo estaria rico.

Em uma reflexão sobre a imprevisibilidade do mercado, Adeodato Netto falou sobre a obra de Richard Thaler, economista norte-americano que recebeu o prêmio Nobel de Economia de 2017. Thaler foi um dos primeiros estudiosos a unir economia à psicologia. Sua premissa básica é de que os seres humanos não são sempre racionais e que suas escolhas são baseadas em questões subjetivas e culturais – muitas vezes, esses fatores podem pesar até mais do que a racionalidade.

Adeodato refletiu sobre a frase “consenso faz o consenso”, que mostra como o comportamento do mercado é moldado. Essa máxima também destaca a importância de se pensar no longo prazo sem deixar de lado os acontecimentos do cenário atual. Quando falamos de investimentos, é fundamental avaliar tudo o que está acontecendo agora para se proteger de perdas. “O índice de volatilidade estava com uma baixa histórica nos Estados Unidos, mas bastou um dia para isso mudar em 2017”, contou.

São exemplos como esse que mostram que a certeza é um erro no mercado de investimentos, justamente porque ele depende do comportamento do investidor. Por isso, é antiético prometer rendimentos astronômicos.

Ainda sobre comportamento, Adeodato Netto relembrou a teoria de Simon sobre o bounded rationality, definido pela racionalidade limitada que o investidor tem por não conseguir absorver toda as informações necessárias sobre o mercado. Consequentemente, quem investe acaba aceitando um rendimento que seja satisfatório em vez de um que maximize totalmente seus lucros.

A melhor forma de lidar como isso é buscar conhecimento. Estar acima da média é necessário, pois munido de todas as informações e ferramentas o investidor tem condições de melhorar a sua tomada decisão.

Otimismo para o mercado

O evento ainda contou com nomes como Pérsio Arida, um dos criadores do Plano Real, o economista e professor Aod Cunha, o ex-ministro Fernando Furlan, a co-fundadora do Nubank Cristina Junqueira e o jornalista Alexandre Versignassi.

Pensando no longo prazo, Pérsio Arida fez um discurso otimista sobre o Brasil de 2030. O ex-presidente do Banco Central relembrou os casos que ele considera sucesso hoje e que podem ajudar o país a continuar crescendo: a Embraer e o agronegócio.

“O Centro-Oeste do Brasil se desenvolveu por causa da sua terra fértil e do agronegócio. Empreendedores saíram do sul do país e foram para Goiás. A família dormia na chuva, mas o trator era coberto”, disse ele, defendendo o Estado mínimo para que o mercado se desenvolva plenamente.

Já Aod Cunha falou sobre como o envelhecimento acelerado deve impactar a nossa economia. “Nos próximos 10 anos, a produtividade do Brasil terá que triplicar para que cresçamos como crescemos nos últimos 20 anos”, afirmou.

Investidores são agentes da transformação

Eventos como o SpotX, que refletem sobre o futuro do Brasil, mostram como todos nós, incluindo os investidores brasileiros, somos agentes de transformação.

Debates como esse também contribuem para melhores tomadas de decisão. Daniel Kahneman, terceira referência da economia comportamental citada por Adeodato Netto, defende que em muitas situações precisamos buscar aconselhamentos. Momentos de pressão, de crise econômica ou de transformações, como o que estamos vivendo agora, são alguns deles.

“Existem períodos durante os quais as pessoas sentem que sua tomada de decisões não é tão boa quanto desejariam, seja porque elas andaram perdendo, porque se encontram em um estado emocional ruim, ou por causa da incerteza elevada. Aqui, a ideia é pedir conselhos, desacelerar antes de tomar decisões, recolher-se”, disse Kahneman em uma entrevista.

A Eleven incentiva debates como o realizado no SpotX, onde todas essas dicas de Kahneman foram vistas na prática. Trabalhamos para dar apoio à tomada de decisão do investidor. E diante de tantas mudanças no mercado, temos a convicção de que estamos gerando valor para o país e para o patrimônio dos nossos clientes.

Fazemos isso por meio de análises de investimentos completas, de qualidade e que fazem diferença na vida do investidor, além de conteúdos gratuitos que ajudam na sua construção de patrimônio. Tudo isso está à sua disposição.

Clique aqui e aproveite!