A Bolsa caiu, e a notícia é boa!

Os papéis da Bolsa se movimentam e é necessário acompanhá-los frequentemente para que seus rendimentos sejam interessantes.

Quando o fundamento está em ordem, as escolhas são feitas de forma independente, técnica e responsável, momentos como os vividos na Bolsa nesta quinta-feira abrem oportunidades de entrada. Mesmo alguns ativos que pareciam valorizar acabam oscilando negativamente com reações excessivamente negativas como as registradas hoje.

A vitória do governo foi incontestável. Imaginar que o processo seria suave não é somente ingênuo, mas quase irresponsável sob a ótica patrimonial. Mas a inegável dependência da nossa economia das commodities falou mais alto, e o medo do desmoronamento das cotações do Petróleo e do Minério castigou fortemente o Ibovespa. Os 64.862 pontos do fechamento, representam queda de 1,86%, com forte volume, mais uma vez acima dos R$ 7 bilhões. No índice futuro a queda foi superior a 2%, mas ainda mantém-se acima de 65.300 pontos. Forte foi o Dólar, que fechou em alta, voltando à casa dos R$ 3,18, enquanto no mercado de juros, DI21 passou da marca dos 10% novamente.

Usiminas viu suas ações preferenciais derreterem 5,19%, enquanto VALE5 recuou 3,82% e CSNA3 -6,85%. Papéis da Bolsa ligados ao petróleo não ficaram muito longe, com PETR4 registrando queda de 3,95%,, QGEP3 -2,3% (recomendamos leitura do relatório de cobertura), PRIO3 -1,31%, esta última foi recém iniciada pela nossa equipe e a análise “Foco em produção. De óleo e resultados”, explica em detalhes a tese de investimento.

Os bancos foram atacados da mesma maneira. Em dia de divulgação de mais um resultado muito bom, ABCB4 caiu 2,71% (abriu oportunidade), acompanhando o setor que viu BBAS3 cair 4,20%, BBDC4 -1,48% e ITUB4 registrar -3,27%. Dentre aqueles papéis da Bolsa que mais sofreram, dando importante espaço para entrada estão GGBR4, que reportou resultado positivo na visão de nossa equipe, PTBL3 que recuou 3,61% e finalmente Profarma (PFRM3), que hoje despencou 7%, em uma reação típica dos espasmos de mercado. Os clientes Renda Variável acessam as teses completas de investimento com determinação de preço-alvo e apontamento dos níveis de qualidade e risco para todas as ações sob cobertura.

As sobreviventes do dia foram poucas. ANIM3 segue uma trajetória consistente de valorização, registrando mais uma alta, hoje de 1,43%. Anima Educação é integrante da Carteira Eleven desde o lançamento da nossa alocação combinada, em 2015. Outro papel recomendado pelo nosso time e que segue “voando”, é AZUL4, que teve Análise completa realizada pela nossa equipe. Hoje subiu 2,98%, chegando a R$ 26,26, acumulando 22% desde o IPO. Ambev recuperou bem seus números e foi aparentemente reconhecida em meio ao mau humor generalizando, com ABEV3 +2,53%.

Dias assim fazem parte da dinâmica de mercado e os investidores que têm serenidade aproveitam para reforçar suas posições ou simplesmente esquecer que o Home Broker existe, enquanto impera a irracionalidade nos pregões. Como bem disse o André Prates em seu já tradicional artigo de domingo, “em investimentos, separe SUAS emoções das do mercado“.

Amanhã tem mais!