A Bolsa caiu! O Segovia também. O Abilio ainda não.

COPOM fez o que defendemos há tanto tempo. Acelerou o ritmo de queda da SELIC. A SELIC caiu! Veja no podcast de hoje no site da Eleven.

Hoje é um tal de derrubar mercado e gente que meu Deus! Previ e Petros querem derrubar todo mundo na BRF. Segovia foi para fila do seguro desemprego e o Ibovespa lembrou o que é operar no vermelho. Os 86.935 pontos do fechamento representam queda de 0,82%. No mês, mesmo com flash crash global, o principal índice da Bolsa brasileira acumula alta de 2,83%. Isso mesmo, 40% do rendimento anual projetado da LFT.

A pauta microeconomica parece ter cara de que vai andar no Congresso, com preferência para reoneração da folha de pagamento, que pode pesar nos orçamentos das companhias muito dependentes de mão de obra. A reforma trabalhista funciona como um atenuante e a reversão da desoneração estava em nosso cenário base e levado aos nossos clientes no Relatório Macro de Fevereiro. A outra medida é a liberação de 100% de capital estrangeiro em empresas aéreas. Mais uma importante porta de entrada de recursos voltados a investimentos de longo prazo, ainda que esteja longe de ser uma indústria de dinâmica óbvia. Dada a característica altamente concentrada, poucas são as empresas beneficiadas pela medida. Do lado operacional e financeiro, o player mais sólido é parte integrante da nossa Carteira recomendada. AZUL4 tem uma combinação de diferenciais competitivos, como multiplicidade de destinos e eficiência de custos que as concorrentes estão distantes de alcançar.

Na temporada de resultados, a BRF segue em seu inferno astral e a briga interna tem mais cara de UFC do que IBGC. A sina de encontrar culpados não combina com a dimensão e complexidade das operações da gigante global. Como quanto maior a árvore, maior o tombo, os desafios da reversão são colossais. Movimentos como os realizados esta semana pelos acionistas, liderados por Previ e Petros, pedindo a destituição de Abilio Diniz, expõem feridas de difícil cicatrização. Curiosamente, manda a cartilha que o Presidente do Conselho não tenha atuação de Presidente Executivo. O ativismo é bacana, sou especialmente defensor da participação dos investidores. Mas lembrem-se, uma companhia deste tamanho é um transatlântico e move-se muito lentamente. A pergunta a fazer é: onde estavam estes acionistas enquanto o iceberg já estava no horizonte? Brigar pelo colete salva-vidas não parece a idéia mais inteligente. Enfim…

No relatório que divulgamos recentemente chamado, “VALE a pena TER de novo”, apresentamos nossa visão sobre a gigante mineradora e as perspectivas para os resultados à frente. Dentre os destaques da tese, apresentamos: “Volta do pagamento de dividendos, com a solidificação do resultado financeiro líquido“. Junto ao resultado, a companhia divulgou pagamento de JCP aos acionistas no valor de R$ 2,5 bilhões. No mesmo relatório, estimamos lucro líquido de US$ 7.251 milhões. O número reportado do indicador foi US$ 7.023. Enquanto uns brigam, outros fazem sua parte!

A temporada de resultados mostra claramente a separação entre aqueles que usaram o período de crise aguda para ganhar eficiência e criar diferenciais para a retomada, daqueles que estão pagando o custo da inércia ou do sonambulismo organizacional. Para o fechamento de fevereiro, destaco dois resultados para serem olhados com grande carinho: Senior Solution e Odontoprev. Ótimos modelos de governança e líderes em seus respectivos segmentos, devem apresentar crescimento por mais um trimestre.

Enquanto o Brasil que produz segue mostrando sua cara, Brasilia ainda se debate entre as brigas parlamentares, judiciárias e a formação do noticiário. O Ministro da Segurança Pública, no exercício das atribuições do mais novo cargo da Esplanada dos Ministérios, decidiu trocar o comando da Policia Federal, demitindo Fernando Segovia. A posição do chefe da corporação vinha em xeque desde suas declarações sobre o potencial arquivamento do processo contra o Presidente Michel Temer. Torquato Jardim acompanhou a reunião de desligamento de Segovia, enquanto la do STF, Barroso, que havia pedido explicações, deve ter assistido pela TV fechada, no ar-condicionado.

Esta é uma edição especial do “termômetro do mercado”. Nela, consigo separar claramente os assuntos quentes, dos requentados e mostrar quão diferentes são as verdades de cada face do nosso país e da Bolsa. Se depois de tanto tempo, a Bolsa caiu… aproveita, porque é BUY!

Até a próxima edição!