Bolsa de Valores: tudo que você precisa saber antes de investir

guia definitivo para investir na bolsa de valores

Ao conquistarmos certa estabilidade financeira, é comum que comecemos a buscar maneiras inteligentes de “fazer nosso dinheiro trabalhar por nós”. Nesse cenário, a Bolsa de valores, pelos inúmeros motivos que você verá no post de hoje, é uma das escolhas mais vantajosas.

Esta, aliás, é uma leitura obrigatória para quem já dispõe de uma boa quantia para aplicar, mas ainda se sente confuso e inseguro diante de tantas opções de investimento no mercado, pois reunimos em um só material tudo o que você precisa saber sobre investimento na Bolsa de Valores.

Como o primeiro passo para conquistar bons rendimentos é, sem dúvidas, buscar mais conhecimento, torna-se essencial que você estude mais sobre o assunto e compreenda como funciona esse tipo de aplicação antes de começar a investir.

Aproveite este material para aprofundar seus conhecimentos e se preparar melhor. Afinal, para ser um investidor de sucesso, antes de aplicar o seu o dinheiro, você precisa estudar e se dedicar a aprender sempre mais!

Podemos começar? Então, continue com a leitura e fique atento às informações a seguir.

1. O que é Bolsa de Valores e como ela funciona?

Ainda que você não tenha muito conhecimento sobre o funcionamento da Bolsa de Valores, certamente já ouviu falar que nela se negociam as ações de diversas empresas.

Assim, estamos falando de um mercado online onde inúmeros investidores se reúnem para negociar ações e outros produtos financeiros.

Na Bolsa de Valores, todos os dias são vendidas e compradas ações de empresas dos mais diversos segmentos do mercado, como bancário, saúde, consumo e serviços.

Ela surgiu como uma alternativa para as empresas captarem recursos e, assim, conseguirem ampliar suas instalações e atuação no mercado. Desse modo, o dinheiro de quem compra uma ação é reinvestido no negócio e o investidor tem direito a receber parte de seus lucros.

2. O que são ações? Entenda melhor o mercado

Falamos bastante sobre ações no tópico anterior. Mas, afinal, o que são ações?

De maneira bem simplificada, as ações representam partes do capital de uma empresa. Assim, quando um negócio resolve comercializar suas ações na bolsa, ela se divide em pequenas partes — chamadas de ações — que podem ser adquiridas por qualquer investidor.

Por isso, quando você adquire uma ação de uma empresa, automaticamente você se torna uma espécie de sócio. Dessa maneira, a depender da quantidade de ações que você compra, é possível se tornar um sócio minoritário e até mesmo majoritário.

Para que fique bem claro sobre o funcionamento da Bolsa de Valores, é essencial que você entenda que nem toda empresa é de capital aberto, ou seja, não é todo e qualquer negócio que negocia suas ações na bolsa.

Além disso, para fazer um bom negócio, você precisa compreender a diferença existente entre Ações Ordinárias (ON) e Ações Preferenciais (PN).

2.1 Ações Ordinárias

As chamadas Ações Ordinárias (ON) representam uma parcela das ações que possuem um processo de compra um pouco mais criterioso.

O motivo para isso é que quem adquire uma ação ordinária tem direito a votar nas Assembleias da empresa e, portanto, participa das decisões do negócio. Porém, o voto é proporcional ao número de ações de que você dispõe, e isso significa que para ter realmente poder de decisão é necessário ter uma boa quantidade delas.

Por outro lado, é importante ressaltar que na divisão dos lucros essas ações recebem uma porcentagem menor quando comparadas às ações preferenciais.

2.2 Ações Preferenciais

O ponto mais relevante e que as diferenciam das ações ordinárias é que elas não dão direito ao voto. Ou seja, quem adquire este tipo de ação não participa das Assembleias e, consequentemente, das decisões a serem tomadas pela empresa.

No entanto, a rentabilidade é um pouco maior, já que esse modelo tende a receber uma porcentagem maior do lucro do negócio.

Além disso, o processo de compra e venda de ações preferenciais é mais simples e rápido, o que pode ser uma vantagem em certos casos.

3. Por que investir na bolsa de valores?

Agora que você já domina melhor o conceito e o funcionamento de uma Bolsa de valores, pode estar se perguntando: por que devo investir na Bolsa de Valores?

Essa é uma dúvida comum, pois, como dissemos, escolher uma modalidade de investimento nem sempre é uma tarefa simples e rápida. Além disso, algumas pessoas acreditam que esse seja um passo muito arriscado para investidores iniciantes, o que você verá que não procede.

Confira agora os principais motivos para usufruir dos benefícios de um dos investimentos mais dinâmicos do mercado:

3.1 Pode ser interessante mesmo em tempos de crise

Ao contrário do que muitos pensam, é possível investir na bolsa mesmo em um cenário de instabilidade política e econômica. Aliás, é importante dizer que esta pode ser uma excelente oportunidade para comprar ações com valores mais interessantes.

Para que você tenha uma noção melhor sobre isso, basta saber que, em 2016, mesmo com tamanha instabilidade na economia brasileira, a bolsa se manteve como o melhor investimento, alcançando um rendimento médio de 22%.

Ou seja, um investidor inteligente aproveita a queda nos valores das ações para conquistar excelentes rendimentos com o retorno à normalidade. Afinal, a crise é uma situação momentânea e aqueles que aprendem a raciocinar assim aproveitam melhor as oportunidades.

3.2 É uma maneira inteligente de ganhar mais tempo e dinheiro

O objetivo de conquistar um bom patrimônio e desfrutar de mais tempo com a família é uma realidade na vida de quase todo brasileiro. Porém, muitas vezes, alcançar essa meta requer uma enorme dedicação ao trabalho e a limitação de momentos assim.

Entretanto, quem investe na bolsa de maneira inteligente conquista mais tempo para interagir com a família e amigos, viajar e ainda assim obter bons rendimentos.

Ou seja, não é preciso sacrificar sua vida pessoal com jornadas estressantes de trabalho. Os rendimentos obtidos na bolsa lhe darão mais tranquilidade, tempo e dinheiro para viver uma vida mais saudável e feliz.

3.3 É possível investir mesmo com pouco dinheiro

Precisar de muito dinheiro para começar a investir na bolsa é outro grande mito dessa modalidade de investimento. Portanto, em primeiro lugar, você precisa saber que isso não é verdade.

De modo geral, é possível começar a investir mesmo sem depósitos mensais, com quantias a partir de R$ 500,00. Ou seja, você não precisa comprar R$ 10 mil de ações para entrar no mercado.

Obviamente, empresas maiores e mais sedimentadas possuem ações com valores mais altos e é sempre bom apostar em investimentos mais seguros. No entanto, com estudo, análise de relatórios e estratégia, é possível investir pouco e obter bons resultados.

3.4 É uma opção segura de investimento

Se você pensa que investir na bolsa é uma opção pouco segura, comece a abandonar essa falsa ideia. Afinal, estudos comprovam que esse é um dos investimentos mais seguros do mercado.

O expert em bolsa de valores nos EUA Jeremy Siegel escreveu um livro chamado “Stocks for the Long Run” (Investindo em Ações no Longo Prazo) em que analisa os dados de mais de 200 anos da Bolsa de Valores.

A conclusão a que ele chegou é que essa é uma modalidade realmente rentável e segura de investimento e que supera a renda fixa, especialmente para aqueles que investem por um período superior a 10 anos. Entretanto, a realidade brasileira é um pouco diferente. Nosso analista, André Prates, escreveu um artigo comentando a respeito. Em resumo, no Brasil, muito mais do que lá, é fundamental (1) a escolha de bons ativos a preços atrativos, e (2) evitar os maus ativos, os ativos caros, e principalmente a combinação dos dois itens”, como descreve Prates.

3.5 Existem alternativas de investimentos para diferentes perfis de investidores

O ser humano é singular e também por isso existem diferentes perfis de investidores — falaremos mais sobre o assunto no decorrer deste material. O que você precisa saber é que existem opções na Bolsa de Valores para cada um desses perfis.

Assim, por exemplo, para aqueles mais conservadores e resistentes a correr riscos, é possível investir no capital protegido, uma modalidade em que não se perde capital e que tem o lucro máximo já fixado — algo em torno de 3%.

Outra opção interessante são as chamadas Operações Box, que se assemelham bastante aos investimentos em renda fixa, mas possuem rendimentos mais acentuados.

3.6 Os dividendos recebidos são livres de Imposto de Renda

Falamos acima que as ações, sejam elas Ordinárias ou Preferenciais, dão ao investidor o direito de receber parte do lucro obtido pela empresa. Esse lucro repartido, também chamado de dividendo, possui uma característica bem interessante.

Nossa legislação estabelece que o Imposto de Renda nesses casos seja descontado na fonte. Mas o que isso quer dizer? Significa que você já recebe o valor líquido e não precisa arcar com impostos sobre essa renda.

4. Descobrindo seu investimento: perfil, riscos, interesse

A partir de agora, vamos ajudá-lo a descobrir o investimento ideal para você, com base em seu perfil de investidor.

Conforme dito, cada pessoa possui características singulares, preferências, receios e uma cultura diferente das demais. Cada um desses fatores acaba influenciando no tipo de investidor que ele se torna, sendo, portanto, essencial se conhecer.

É importante compreender que a definição desse perfil é primordial para encontrar o tipo de investimento ideal para você e, por isso, esse precisa ser o seu primeiro passo a ser dado por quem deseja começar a investir.

De modo geral, existem três perfis de investidor:

  • Investidor Conservador;
  • Investidor Moderado;
  • Investidor Arrojado.

4.1 Investidor Conservador

O Investidor Conservador, como o próprio nome diz, é o mais resistente a correr riscos e, portanto, deve buscar por investimentos mais seguros. Apesar de a Bolsa de Valores ser conhecida como um investimento pouco seguro, nós já mostramos que isso não é verdade.

Existem opções na bolsa que se adequam ao indivíduo conservador, como o capital protegido e as Operações Box. Ou seja, caso você não tolere tanto o risco de perder dinheiro e busque por algo mais estável e seguro, estude essas opções.

Além disso, é aconselhável que se invista em empresas já solidificadas no mercado e que se busquem resultados no longo prazo, pois os rendimentos serão mais acentuados.

4.2 Investidor Moderado

O Investidor Moderado é um meio termo entre os demais perfis. Apesar de dar bastante valor à segurança nas operações, ele é mais flexível quanto ao fato de correr riscos, pois o seu objetivo ao investir é conquistar uma boa rentabilidade.

Por ter essa característica, esse perfil tem mais opções à sua disposição. Ademais, é preciso frisar que a Bolsa de Valores é um campo muito produtivo a esses indivíduos, pois eles se sentem mais à vontade em correr riscos em busca de mais rentabilidade.

Desse modo, é aconselhável também comprar ações de boas empresas. No entanto, se esse for o seu perfil, fique atento aos gráficos e notícias para aproveitar boas oportunidades no mercado de ações.

4.3 Investidor Arrojado

O Investidor Arrojado é mais ousado ao investir e busca sempre por uma boa rentabilidade. Obviamente, ele não se descuida da segurança das operações, mas é mais tolerante ao risco e, por isso, acaba girando bastante seu capital.

Se você se encaixa nesse perfil, fique atento a momentos de instabilidade e leia bastantes notícias e relatórios. Em muitos casos, ações despencam e sobem com muita rapidez e você pode fazer uma boa compra ou venda.

Por outro lado, é importante frisar que você precisa acompanhar mais de perto a bolsa, já que um passo errado pode significar um grande prejuízo.

4.4 A importância de definir interesses ao investir na bolsa

Outro ponto importante ao pensar em investir é, sem dúvida, definir adequadamente os seus interesses com isso. Afinal, isso pode influenciar diretamente na sua escolha.

Como dissemos, a Bolsa de Valores pode ser interessante para quem tem objetivos de curto, médio e longo prazo. No entanto, os melhores resultados são obtidos por aqueles que podem esperar um pouco mais pela rentabilidade.

Caso se sinta inseguro, a melhor opção é contar com a ajuda de um analista de investimentos, profissional que o ajudará a definir o seu interesse e encontrar o investimento que melhor se encaixa ao seu perfil e às suas expectativas.

5. Por que analisar dados e relatórios das empresas?

Se você está se interessando pelo investimento na Bolsa de Valores, precisa compreender as razões para se manter atento aos dados e relatórios das empresas.

Um investidor inteligente sabe que obter bons rendimentos na bolsa não é apenas questão de sorte. Afinal, o segredo do sucesso está no estudo e análise técnica sobre a situação do negócio somados, é claro, a uma pitada de sorte.

Dessa forma, é essencial que você perca boa parte do seu tempo avaliando alguns relatórios e dados, como:

  • relatórios financeiros do empreendimento;
  • balanço geral;
  • fluxo de caixa;
  • capital;
  • lucro líquido;
  • receita líquida;
  • nível de endividamento.

Em resumo, o desempenho da empresa e as chances de ela ter seu valor aumentado ao longo do tempo pode ser observado por meio desses relatórios e dados. Desse modo, uma análise fundamentalista mais aprofundada lhe dará segurança e embasamento para tomar decisões acertadas.

Conclui-se, portanto, que um bom investidor precisa manter-se atento a tais informações, pois elas fornecem um panorama real da situação da empresa, evitando perdas e danos ao seu capital. Com isso, você sabe o momento exato de investir mais ou de vender suas ações, conquistando mais rentabilidade.

6. Quando vender ações

Até aqui falamos bastante sobre investir na Bolsa de Valores. Mas, para que esse material fique realmente completo, é essencial abordar o momento da venda de ações. Afinal, um investidor de sucesso deve saber comprar e vender ações no momento certo.

É bastante comum encontrar investidores iniciantes que compraram ações por um bom valor, mas não sabem quando vendê-las.

A primeira informação que você precisa saber é que oportunidades devem ser aproveitadas, no entanto, elas não surgem a todo momento. Em outras palavras, é preciso controlar a ansiedade e a ganância para não vender suas ações antes da hora.

Mas, então, como saber o momento de concretizar a venda?

Não existe uma resposta exata para essa indagação, mas a venda de ações, assim como a compra, deve ser embasada em uma análise bem minuciosa da situação da empresa e das oscilações do mercado.

Mais uma vez, o que se percebe é que isso demanda estudo e observação por parte do investidor. Esse é um jogo pautado em dados e, portanto, por mais que exista uma certa imprevisibilidade no processo, a análise técnica poderá facilitar sua tomada de decisão.

Dessa maneira, fique atento aos relatórios, dados, noticiários e previsões sobre o mercado. Mantenha a calma e avalie com cautela os benefícios e prejuízos que a venda nesse momento pode lhe trazer.

Lembre-se de que, seguindo esses passos, suas chances de se tornar um investidor de sucesso e aproveitar grandes oportunidades são maiores.

7. Começando a investir

Depois de tudo o que você leu no artigo, já está mais preparado para começar a investir na Bolsa de Valores. Por isso, separamos os passos que você precisa seguir para conseguir operar na bolsa e conquistar seus objetivos de maneira eficiente. Quer aprender? Continue lendo!

7.1 Defina como investir

O primeiro passo é definir como você investirá na Bolsa de Valores. Ou seja, você será um investidor por conta própria ou contratará um profissional para auxiliá-lo?

Quem escolhe investir por conta própria precisa abrir uma conta em uma corretora de valores credenciada e preparada para realizar negociações na bolsa e, a partir disso, pode começar a ter acesso a investimentos e informações selecionadas por ela.

É importante pesquisar bastante antes de escolher a corretora, pois isso influencia diretamente em seus rendimentos.

Já quem aposta em investir por meio de um profissional terá o auxílio da empresa para tomar as melhores decisões e conquistar bons rendimentos. Ou seja, um profissional com experiência de mercado pode ajudá-lo a encontrar as melhores opções para o seu perfil de investidor.

Ressalta-se que essa pode ser a melhor opção para investidores iniciantes, pois estes ainda não possuem muito domínio do mercado.

7.2 Abra uma conta bancária

Além de abrir uma conta na corretora, é necessário que você tenha uma conta corrente ativa. Em resumo, o dinheiro utilizado para a compra das ações deve ser transferido de sua conta bancária para a conta na corretora.

Frisa-se que as duas contas precisam ter como titular a mesma pessoa, pois há a conferência do CPF dos titulares. Ou seja, para que ocorra a transferência do dinheiro para a realização da compra e para receber a quantia referente à venda de suas ações, as duas contas precisam pertencer ao mesmo CPF.

7.3 Transfira o dinheiro para a conta da corretora

Após criar a conta bancária, basta transferir os valores para a sua conta na corretora de valores.

Esse procedimento pode ser realizado de maneira simples e rápida, por meio de um DOC ou TED. Basta que você tenha em mãos os dados bancários da corretora, geralmente encontrado em sua página na internet.

7.4 Comece a investir

Depois de realizar os passos anteriores, você terá o dinheiro disponível em sua conta e poderá começar a investir normalmente.

Dessa forma, usando todos os demais conhecimentos adquiridos neste artigo, é só começar a estudar e se preparar para aproveitar oportunidades, comprando e vendendo suas ações com sucesso.

Conclusão

Ao longo do conteúdo, você teve acesso a inúmeras informações importantes e realmente relevantes sobre os investimentos na Bolsa de Valores. Procuramos reunir tudo o que você precisava saber para começar a investir na bolsa de maneira segura e planejada.

Esperamos que você tenha compreendido que, apesar de muitas vezes ser vista como um investimento pouco seguro, a segurança das operações realizadas na bolsa está intimamente ligada à capacidade e disponibilidade do investidor de estudar e pesquisar sobre o mercado e ao tempo de retorno esperado.

Por isso, após identificar o seu perfil de investidor e analisar todas as opções à sua disposição, basta ter a curiosidade e o compromisso de manter-se sempre antenado com as notícias sobre o mercado e ler com atenção todos os relatórios e dados das empresas nas quais você investiu ou pretende investir.

Seguindo nossas dicas e aproveitando todos os conhecimentos adquiridos aqui, tenha a certeza de que você está um passo mais próximo de se tornar um investidor de sucesso na Bolsa de Valores! Boa sorte e mãos à obra!

Gostou do artigo? Gostaríamos de convidá-lo a assinar a nossa newsletter. Assim, você pode ter acesso em primeira mão a mais conteúdos como este! Não perca tempo e assine agora mesmo!