Construindo Seu Futuro – Fundos imobiliários: investidor deve buscar seletividade

Existem algumas palavras que devem fazer parte do dia a dia do investidor de fundos imobiliários. Atenção, seletividade, responsabilidade e firmeza são apenas alguns dos valores que guiam o processo de construção de patrimônio.

Nesta semana, eu vou usar um desses conceitos para comentar uma notícia que teve impacto direto na B3 e no Mercado de Fundos Imobiliários. Você provavelmente leu nos jornais sobre a suspensão da negociação de cotas do Fundo Imobiliário Mérito, anunciada pela CVM na última quarta-feira (18).

Infelizmente, o fato tem efeito negativo no mercado. Um dos impactos recaem diretamente sobre o investidor, que pode ter dúvidas em relação a outros fundos imobiliários, esses sim pagadores de bons rendimentos.

Nesse caso, a seletividade deve ser utilizada. O investidor precisa entender bem o portfólio do fundo imobiliário no qual pretende aplicar. Estudar todos os detalhes de um fundo, destrinchando cada variável e traçando panoramas para o investidor, é o trabalho que desenvolvemos aqui na Eleven. Em nossa visão, o driver para um fundo imobiliário é a qualidade de gestão e sua reputação, a localização dos imóveis e os atributos dos empreendimentos e contratos. Logo abaixo, nos fatos mais relevantes da semana, eu comento mais sobre a suspensão do Fundo Mérito.

Apetite por novos produtos

A última semana também teve boas notícias para o mercado. Uma delas foi a chegada de um fundo imobiliário destinado a apenas 50 investidores. O fundo será composto por unidades de estoque acabado da Direcional. Para o setor, o reflexo é bem positivo, pois mostra que há apetite por novos produtos e espaço para um segmento que ainda é pouco negociado na B3.

O fundo terá poucos cotistas no início e um tamanho de R$ 210 milhões. No entanto, devido a taxa de juros ainda baixa, essa classe de ativos continua a crescer e o mercado pode voltar a oferecer novos fundos imobiliários, trazendo ainda mais opções para os investidores.

Investir em um fundo imobiliário é mais eficiente do que comprar diretamente um imóvel. Existem ainda outras vantagens como a possibilidade de diversificação do portfólio, o acesso a grandes empreendimentos com liquidez, entre outras. Por isso, acreditamos que este é um mercado que pode crescer de maneira expressiva.

Confira agora os destaques para os FIIs entre os dias 16/07 e 20/07:

MFII: O fundo publicou, na última terça-feira (17), ata da AGE onde foi aprovada a uniformização da taxa de ingresso devida pelos investidores que vierem a adquirir Cotas da 5ª Emissão para um percentual fixo de 20% sobre o preço de subscrição. No dia seguinte, a gestora Planner Corretora comunicou, através de fato relevante ao mercado, a suspensão na negociação das cotas do fundo na B3, conforme determinado pela CVM na mesma data. O comunicado da CVM aponta que há indícios de que o fundo vem atuando de maneira irregular no mercado. Em nossa visão, por ser um fundo imobiliário de desenvolvimento e por haver diversos riscos nas vendas, a relação entre risco-retorno fica desbalanceada e os rendimentos devem ser inconstantes. Estive reunido com o gestor para entender seu modelo de negócio e o motivo dos rendimentos tão acima do mercado e recorrentes, mas não ficamos confortáveis em recomendar em nenhum momento. A taxa dita como ingresso sustenta a distribuição de rendimentos acima do mercado, sendo uma prática insustentável, já que a cada emissão de cotas há mais a necessidade de distribuir cada vez mais. Acreditamos que essa atitude afeta a indústria de fundos imobiliários, pois pode colocar o investidor em dúvida na sua tomada de decisão. Por outro lado, amadurece, já que o mercado ainda é pequeno no Brasil.

CXTL: Fundo de galpões logísticos sob administração da Caixa Econômica Federal, comunicou, na última segunda-feira (16), por meio de fato relevante ao mercado, a necessidade de reformas e recomposição do sistema elétrico do imóvel de Itapevi, a fim de propiciar a entrada e início da operação do locatário. Ainda no documento, foi informado que a empresa Axion Construções Ltda foi a escolhida para a prestação dos serviços de engenharia, no valor de aproximadamente R$ 1 milhão. As demais obras tiveram início no dia 10 de julho, e todo o processo tem conclusão prevista para outubro deste ano.

TBOF: O fundo do segmento de lajes corporativas sob gestão do BTG Pactual informou, nesta quinta-feira (19), por meio de fato relevante ao mercado, o recebimento de aproximadamente R$ 800 mil da prefeitura da cidade de São Paulo, referente a créditos do IPTU do imóvel Edifício Tower Bridge Corporate, localizado na Zona Sul da capital paulista. Com este recebimento, os rendimentos apresentam melhora em cerca de 40%, e, segundo a gestora, devem ser distribuídos aos cotistas ao longo do segundo semestre de 2018.

Esta edição fica por aqui!

Você está gostando da newsletter Construindo seu Futuro? Por favor, envie sua opinião para [email protected].

Uma ótima semana a todos.

Um abraço,

Raul Grego

A Eleven conta com um produto especial para quem quer investir no mercado imobiliário. É o Riqueza em Construção! Com ele, você tem as melhores análises e recomendações sobre FIIs de diferentes setores.

Não perca esta janela de oportunidade do mercado, conheça o Riqueza em Construção agora!