Construindo seu Futuro: Indicadores de confiança demonstram otimismo

Nos últimos dias úteis de 2018, foram divulgados os indicadores de confiança de dezembro, que demonstraram otimismo em relação à economia local. A expectativa de melhora da atividade pode ser vista no ICOM (Índice de Confiança do Comércio) que atingiu 105,1 pontos, acima dos 99,4 do mês anterior e dos 94,9 de dezembro do ano passado. O número acima da marca de 100 pontos indica transição para níveis elevados de confiança, alcançados pela última vez em março de 2014.

Acompanhando o otimismo do comércio, o ICI (Índice de Confiança da Indústria) também foi maior. O índice alcançou o patamar de 94,8 pontos em dezembro, 0,5 ponto acima do visto em novembro, influenciado principalmente pelo avanço do grau de satisfação com o nível de demanda atual. As empresas que avaliaram o resultado como forte subiram de 7,7% para 10,3% e as que o consideraram fraco caíram de 22,9% para 21,6%.

Na outra ponta, o consumidor também parece acreditar mais na economia. O ICC (Índice de Confiança do Consumidor) avançou para 93,8 pontos, maior nível desde abril de 2014. O fator de maior contribuição para o desempenho foi a melhora da avaliação sobre o momento presente. A satisfação com a situação atual da economia apresentou crescimento de 2,8 pontos, resultante de um período de inflação sob controle e um 2018 de ligeira melhora do mercado de trabalho, com recuo da taxa de desocupação para 11,6%, de acordo com a Pnad Contínua.

Além dos índices de confiança, foi divulgado o IGP-M (Índice Geral de Preços – Mercado), principal fator de correção utilizado em contratos de locação, referente aos preços coletados de 21 de novembro a 20 de dezembro. Seguindo a tendência de novembro, o índice encerrou dezembro com deflação de 1,08%. Com essa nova queda, o indicador encerra 2018 acumulando 7,54%. Apesar da disparidade entre o valor recente para os demais de 2018, o observado em dezembro foi próximo do -1,11% estimado pelo mercado, de acordo com a Reuters Poll.

Apesar dos dados de confiança não serem garantia de aumento do consumo e dos investimentos, o retorno de uma perspectiva positiva para o próximo ciclo é o primeiro passo para uma retomada mais efetiva. A continuação da recuperação do mercado de trabalho e a diminuição das incertezas com o novo governo deverão ajudar na manutenção da perspectiva otimista. Ainda que o IGP-M tenha apresentado novo recuo, nossa visão é de que, no momento, o mercado imobiliário não se encontra suficientemente aquecido para que a correção seja integralmente repassada aos locatários. Acreditamos que, com a materialização do panorama, deveremos ver impacto positivo nos fundos imobiliários com o aumento da demanda por empreendimentos imobiliários nos segmentos de galpões logísticos e industriais, além de lajes corporativas.

Agora confira os destaques entre os fundos imobiliários de 21 a 28 de dezembro:

HGBS: fundo de shopping centers comunicou ao mercado em 21 de dezembro, por meio de fato relevante, que firmou proposta para a aquisição de 16,67% do Santana Parque Shopping, na zona norte de São Paulo. A transação será no valor de R$ 60 milhões, sujeito a possíveis alterações. O empreendimento, inaugurado em 2007, é administrado pela Aliansce Shopping Centers e possui cerca de 26,5 mil m² de área bruta locável.

XPML: assim como o Hedge Brasil Shopping, o XPML celebrou Carta de Intenções Vinculante para aquisição de 16,67% do Santana Parque Shopping nas mesmas condições. Além dessa transação, o fundo também assinou com o FII Floripa para a aquisição de 35,37% do Floripa Shopping. O acordo é no total de R$ 72,5 milhões, sendo que 70% serão pagos na data de conclusão da transação e o restante, em até 45 dias após essa data, sendo corrigidos pelo IPCA. Para a efetivação dos acordos citados anteriormente, o fundo registrou sua 3ª emissão de cotas. Ainda sem informações complementares, a oferta será no montante de R$ 375 milhões ao valor unitário de R$ 100 por cota.

XPLG: fundo de galpões logísticos comunicou ao mercado na quinta-feira, via fato relevante, que em 21 de dezembro foi celebrado instrumento particular de compromisso de compra e venda com a empresa Cajamar Investimentos Imobiliários, cujo objeto é a aquisição de 39,5% (fração ideal) do imóvel onde será edificado um centro de distribuição a ser locado para a companhia Leroy Merlin, com área construída de aproximadamente 110 mil m² com previsão de entrega ao final de junho de 2020. A transação foi negociada em cerca de R$ 236 milhões com a primeira tranche de R$ 38 milhões. Até a data de entrega do imóvel, o fundo receberá mensalmente prêmios de locação equivalentes a 1/12 de 8,3% do valor da tranche, corrigido anualmente em dezembro pelo IPCA. Inicialmente, o rendimento bruto estimado é de R$ 0,0717 por cota. Após a entrega do empreendimento, o fundo passará a ser remunerado de acordo com a fração de sua participação do aluguel total de cerca de R$ 1,5 milhões mensais.

Esta edição fica por aqui!

Você está gostando da newsletter Construindo seu Futuro? Por favor, envie sua opinião para [email protected].

Uma ótima semana a todos!

Um abraço,

Raul Grego

Imagina investir em um ativo que paga dividendos mensais, é isento de Imposto de Renda e tem um alto potencial de valorização? Esses são apenas alguns dos benefícios alcançados por quem investe em Fundos Imobiliários.

O time de analistas da Eleven seleciona e recomenda os melhores do mercado no produto Fundos Imobiliários, sob o comando de Raul Grego.

Quer saber mais sobre essa janela de oportunidade? Conheça o Fundos Imobiliários!