Construindo seu Futuro: O que esperar dos shopping centers no dia das mães?

Com a proximidade do dia das mães (12/05), o mercado varejista volta a ficar animado com as promoções dos shopping centers que buscam atrair mais fluxo, já que essa é a principal data comemorativa do primeiro semestre e uma das melhores do ano em termos de faturamento para o setor. De acordo com uma pesquisa da Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL) e Serviço de Proteção ao Crédito (SPC), cerca de 78% dos consumidores devem realizar pelo menos uma compra no período, dado superior aos 74% registrados em 2018. A expectativa é que o movimento do comércio e dos serviços alcance cerca de R$ 24,3 bilhões.

Os dados revelam que os principais produtos a serem comprados nesta data são roupas, calçados e acessórios (42%), perfumes (36%) e cosméticos (23%). O ticket médio do total gasto pelos brasileiros é de ~R$ 199, o que é 30% superior à média de 2018 de ~R$ 153. A pesquisa ainda aponta a expectativa de que 34% dos consumidores devem realizar as suas compras em shopping centers, já que esses espaços reúnem boa parte das opções, além de realizarem promoções que incentivam o consumo.

Sob a ótica dos shopping centers, o faturamento tende a aumentar. No mês de Maio existe melhora no fluxo de estacionamento, aumento das vendas e consumo na praça de alimentação. Dos fundos imobiliários deste segmento que acompanhamos (FIGS, HGBS, JRDM, MALL, PQDP, SHPH, VISC e XPML), acreditamos que todos FIIs devem apresentar uma melhora na performance frente ao ano passado, se beneficiando da data comemorativa. Além disso, o calendário de filmes também é um impulsionador de fluxo de visitantes, estacionamento e alimentação. Por exemplo,recentemente tivemos o sucesso do filme Vingadores Ultimato, que se tornou o segundo maior filme da história em arrecadação de bilheterias até o momento.

Acreditamos que os shopping centers no Brasil continuarão se mantendo como os grandes centros de consumo, lazer e serviços, mesmo considerando o crescimento do varejo online. As mudanças de mix de lojas recente, o aumento do lazer e os investimentos para a integração do varejo online com as lojas são os principais pilares para que o negócio dos shoppings continue resiliente no médio e longo prazo.

FIIs de Shopping que recomendamos

FIGS: detém a participação de 36,5% no Shopping Bonsucesso e Parque Shopping Maia, ambos localizados no município de Guarulhos (SP).

HGBS: é o maior fundo imobiliário de shoppings atualmente listado na B3 e conta com participação direta e indireta em shoppings em 4 estados do Brasil. Possui cerca de 110 mil m² de ABL e tem participação em 9 shoppings, sendo 23% por meio de participação em outros FIIs.

JRDM: detém 40% de participação do Shopping Jardim Sul, na cidade de São Paulo, que é administrado pela BR Malls.

MALL: detém 54,2% de participação do Maceió Shopping, que é um ativo consolidado na região e é administrado pela BR Malls.

PQDP: detém 15% de participação no Shopping Parque Dom Pedro localizado na cidade de Campinas, sendo um dos maiores centros comerciais da América Latina e administrado pela Sonae Sierra Brasil.

SHPH: detém 25,7% de participação no Shopping Pátio Higienópolis localizado na cidade de São Paulo.

VISC: um dos mais diversificados em termos de localização, possui participação direta em 9 shopping centers, em 7 estados do Brasil, sendo a maior concentração no Rio de Janeiro.

XPML: com participação em 7 shopping centers, a equipe de gestão alavancou a operação com a compra de participação nos ativos de shopping da JHSF.

Destaques entre os fundos imobiliários de 26 de abril a 03 de maio:

KNRI: No dia 26 de abril o fundo de lajes corporativas comunicou ao mercado, via fato relevante, que na mesma data foi celebrado Contrato de Subscrição e de Compra e Venda de Quotas e Outras Avenças, tendo por objeto a aquisição do empreendimento Edifício Diogo Moreira 184 (São Paulo, SP), pelo valor de aproximadamente R$286 milhões. Ainda no documento, é esclarecido que a referida aquisição não impactará a distribuição de rendimentos do fundo.

FLMA: O fundo de lajes corporativas publicou, em 30/Abr, a ata da AGO/E, realizada no dia anterior, na capital paulista. A reunião teve como objetivo a deliberação a respeito dos seguintes pontos: análise das demonstrações financeiras referentes ao exercício findo em 31/Dez/18, bem como o relatório dos auditores independentes; e, análise acerca dos orçamentos para a auditoria das demonstrações financeiras do exercício a ser encerrado em 31/Dez/19. A ordem do dia foi aprovada na sua totalidade.

TGAR: O fundo de desenvolvimento residencial publicou o edital de convocação para a AGE, a ser realizada no próximo dia 14/Mai, na capital paulista. A reunião terá como objetivo deliberar a respeito dos seguintes pontos: ajuste no regulamento do fundo a fim de adequar a base de cálculo da taxa de administração, de forma que dos 1,5% do valor de mercado do fundo, 0,12% é referente a administração, 1,28% a gestão e 0,07% a controladoria; e, por fim, a aquisição pelo fundo de ativos, específicos, negociados por fundos geridos pela gestora e/ou empresas do seu grupo econômico.

Esta edição fica por aqui!

 

Você está gostando da newsletter Construindo seu Futuro? Por favor, envie sua opinião para [email protected].

Uma ótima semana a todos!

Um abraço,

Raul Grego

Imagine investir em um ativo que paga dividendos mensais, é isento de imposto de renda e tem um alto potencial de valorização? Esses são apenas alguns dos benefícios alcançados por quem investe em Fundos Imobiliários.

O time de analistas da Eleven seleciona e recomenda os melhores do mercado no produto Fundos Imobiliários, sob o comando de Raul Grego.

Quer saber mais sobre essa janela de oportunidade? Conheça o Fundos Imobiliários!