Construindo seu Futuro: Bons ventos sopram

 

Na semana passada, o IPCA do mês de março foi divulgado mostrando mais uma aceleração frente ao observado em fevereiro sendo a maior variação para o mês de março desde 2015. Sob a ótica dos últimos 12 meses, o índice atingiu 4,58%, quase 1% a mais do que os 3,89% nos últimos 12 meses imediatamente anteriores, voltando a ultrapassar a meta após 5 meses.

O resultado do índice de março sofreu maior influência dos grupos de Alimentação e Bebidas (1,37%) e Transportes (1,44%), que representam cerca de 43% das despesas das famílias. A Comunicação foi o único grupo que apresentou deflação em março, com uma variação negativa de 0,22%.

Em nossa visão, a recuperação do índice de inflação ainda não reflete uma melhora nos principais indicadores econômicos e na retomada da atividade. A economia está à espera de uma definição sobre a reforma da previdência e enquanto isso o valor por m² divulgado pela FipeZap no mercado de locação residencial segue apontando para uma valorização menor do que a inflação.

Os dados da FipeZap divulgados esta semana mostram variação de 0,61% em março para o valor dos alugueis, resultando em uma queda real de 0,14% nesse mês. Contudo, no acumulado do ano e comparando com o IGP-M do período, a queda é ainda mais significativa devido à maior variação do IGP-M, que acumula alta de 2,16% no mesmo período, enquanto o índice do FipeZap acumula alta de 1,68%.

No caso dos imóveis comerciais, acreditamos que o movimento é ainda mais intenso, dada a redução da taxa de vacância, principalmente nas regiões de São Paulo onde há maior concentração de imóveis tipo A+. Estes dados, por mais que não tenham relação tão direta com os edifícios comerciais, mostram uma tendência para o setor imobiliário como um todo, em linha com o que as empresas abertas têm apresentado de lançamentos e vendas.

 

Destaques entre os fundos imobiliários de 8 a 12 de abril:

ALZR: O fundo de galpões logísticos publicou, na segunda-feira 08/Abr, o anúncio de início da distribuição de cotas da 2ª emissão do fundo. A oferta pública (CVM 400) terá como objetivo a captação de até ~R$ 141,5 milhões, através da emissão 1.553.239 novas cotas ao preço unitário de R$ 95,00 (sendo R$ 3,90 referentes aos custos da oferta). Aqueles investidores com posição no fundo, poderão exercer o direito de preferência junto a B3 entre os dias 15 e 26 de abril, se atentando ao fato de proporção de aproximadamente 1,55 novas cotas para cada uma detida na data de publicação do documento. Acreditamos que a oferta é positiva para o fundo, por contribuir para a diversificação de locatário e localização de empreendimentos.

OUJP: O fundo de recebíveis imobiliários publicou, em 08/Abr, a ata da AGE ocorrida na última sexta feira (05), na capital paulista. A reunião teve como objetivo a deliberação a respeito da aprovação da 2ª emissão de cotas do fundo, bem como suas características gerais, incluindo, a forma de pagamento dos custos de distribuição. Por unanimidade a ordem do dia foi aprovada. A 2ª emissão de cotas do FII ocorrerá em acordo com a IN 400 da CVM (oferta pública), com meta de captar até R$ 105 milhões, distribuídos em um milhão de novas cotas, ao valor unitário de R$ 105,00.

FVBI: O fundo de lajes corporativas comunicou ao mercado, em 10/Abr, via fato relevante que, foi assinado um contrato de locação com o Banco Credit Agricole Brasil, referente ao 3º andar do imóvel, totalizando aproximadamente 2,2 mil m², pelo prazo de cinco anos, contados a partir de 01/04/19. Ainda no documento, é esclarecido que a entrada do novo inquilino reduz a vacância do fundo para 8,4%, além de impactar a receita imobiliária do fundo em cerca de 26%.

XPML:  O fundo de shopping centers comunicou ao mercado, na última quinta-feira (11), que foi celebrada a intenção de aumento de sua participação no empreendimento Catarina Fashion Outlet, com pagamento de R$ 30 milhões a título de sinal. A transação total será no valor de ~ R$ 112 milhões e elevará a participação do FII no ativo em 17,99%, chegando a 49,99%. Em nossa visão, esta movimentação é positiva para o fundo, dada a qualidade do ativo.

Esta edição fica por aqui!

Você está gostando da newsletter Construindo seu Futuro? Por favor, envie sua opinião para [email protected].

Uma ótima semana a todos!

Um abraço,

Raul Grego

Imagine investir em um ativo que paga dividendos mensais, é isento de imposto de renda e tem um alto potencial de valorização? Esses são apenas alguns dos benefícios alcançados por quem investe em Fundos Imobiliários.

O time de analistas da Eleven seleciona e recomenda os melhores do mercado no produto Fundos Imobiliários, sob o comando de Raul Grego.

Quer saber mais sobre essa janela de oportunidade? Conheça o Fundos Imobiliários!