Em dia de guerra de tendências, o BUY venceu no Ibovespa

Derrota de Trump, Minério e Petróleo em queda, S&P e Bolsas européias em terreno negativo. Nem Meirelles salva!

O Ibovespa encerrou o pregão com alta de 0,83% aos 57.583 pontos. O índice chegou a subir 1,4% durante o pregão, mas desacelerou depois da abertura do mercado americano. As medidas anunciadas hoje pelo Banco Central, com foco em melhorar a eficiência do sistema financeiro, beneficiando o crédito, foram consideradas positivas no médio e longo prazo, sem muito efeito no curto prazo. Sendo assim, o efeito foi pontual em ações de bancos e principalmente na Cielo, com falta de anúncio sobre decisão de redução do prazo de pagamento das vendas no cartão de crédito aos lojistas.

O destaque do Ibovespa ficou com Cielo (CIEL3, 4,98%), seguida por Gerdau (GOAU4, 2,91%) e Itaú Unibanco (ITUB4, 2,55%). Cielo e Itaú são companhias cobertas pela equipe Eleven Financial. Acesse Renda Variável e leia a íntegra das análises com as projeções de preço-alvo e risco.

As maiores quedas do dia ficaram para as varejistas Lojas Renner (LREN3, -3,01%) e (PCAR4, -2,69%).

Dólar

Dólar amplia perdas frente ao real durante a tarde, com a moeda americana perdendo a força no exterior, em meio ao fluxo de entrada de recursos. Moeda brasileira tem 2º melhor desempenho ante dólar entre as principais divisas globais. O real encerrou o pregão com queda de 0,57% (3,35 BRL/1,00 USD).

 precos