GESTÃO ATIVA EM FIIS: POR QUE VOCÊ DEVE FICAR DE OLHO

Esta semana se inicia em “clima Pós-Copa” e com a sensação de que o Brasil poderia ter ido mais longe, não? Se bem que o jogo de ontem fechou o Mundial com chave de ouro…

Eu começo animado, apesar de não ter ganhado o bolão aqui da empresa, confesso!

Bem, vamos para o que interessa.

Nesta última sexta-feira, dia 13/07, uma reportagem importante sobre gestão ativa em fundos imobiliários foi destaque o jornal Valor Econômico. De acordo com o veículo, os tempos de fundos imobiliários passivos (os constituídos para administrar uma carteira específica de propriedades com foco na renda) ficaram para trás. A reportagem contou com a participação de diversas gestoras, que comentaram o assunto e as vantagens para os cotistas. Com esta estratégia, é esperado que o gestor assuma a responsabilidade de evitar que o fundo sofra com grandes quedas nas rendas mensal no médio e longo prazos em períodos de retração da economia.

Ponto de Vista Eleven sobre a gestão ativa em FIIs

Você, caro leitor, quer saber qual é minha visão sobre tudo isso, certo? Bem, o ponto de vista da Eleven sobre a gestão ativa em FIIs é que se trata de um modelo que extrai o valor da experiência do gestor com os ciclos imobiliários. Isso porque por meio dele é possível identificar oportunidades e evitar a concentração de locação para reduzir a possibilidade do poder de barganha.

Assim, a gestão ativa tende a se consolidar como o padrão da indústria. Como consequência, os aluguéis devem se recuperar lentamente nos próximos anos, com os inquilinos negociando condições mais positivas e melhorando os resultados para os fundos de gestão ativa e empreendimentos bem localizados.

O mercado segue instigante para os investidores de FIIs

Com a recuperação do mercado e a Selic mantida baixa, o crescimento do número de carteiras no segmento imobiliário está sendo bastante estimulado. A repercussão disso, você já deve imaginar: a previsão de aumento de investidores movimentando seu capital e os fundos, e os gestores ampliando seu leque de empreendimentos administrados.

Otimismo como palavra de ordem para os FIIs

Devido a tudo o que foi comentando, eu me sinto à vontade para dizer a você que estou otimista com a evolução do mercado de fundos imobiliários e com o crescimento de investidores nesta classe de ativos, a porta de entrada para quem quer investir no mercado imobiliário.

Confira agora os destaques para os FIIs entre os dias 06 e 13/07:

 

HGRE/HGLG/GRLV – Os fundos sob administração da CSHG divulgaram nesta última quarta-feira, dia 11/07, as atas das AGEs que aconteceram em 03 e 05/07. Foram discutidas as aquisições de ativos financeiros e valores mobiliários realizadas pelos fundos e a possibilidade de aquisição de cotas de outros FIIs geridos e/ou administrados pelo CSHG. Devido à falta de quórum necessário previsto no regulamento para aprovação das pautas nos casos do HGRE e HGLG, as deliberações não aconteceram. Já para o GRLV, foram aprovadas todas as pautas em discussão. Por fim, especificamente para o HGRE, foi discutida e aprovada sua 8ª emissão de cotas, no valor total de R$ 400 milhões, voltada ao público em geral. Após realizado o prospecto preliminar, analisaremos e divulgaremos mais informações a respeito da posição sobre possível subscrição de cotas ou não.

RBBV – O fundo anunciou, por meio da administradora, que não realizará a amortização anual das cotas do fundo, sob a justificativa de que o objetivo do fundo é investir, indiretamente, no empreendimento “Fazenda Boa Vista” e ter seus rendimentos gerados a partir da comercialização das unidades do empreendimento. Dessa forma, como o regulamento do fundo prevê a amortização anual das cotas apenas mediante disponibilidade de caixa e deliberação da gestora e, segundo a Rio Bravo (gestora), os indicadores de caixa ficaram em patamar inferior ao necessário, a amortização prevista para jul. /18 não ocorrerá. Ainda no documento, foi mencionada a possibilidade de amortizações extraordinárias, em datas diferentes das previstas.

GWIR – O fundo do segmento de shopping centers publicou na sexta-feira (dia 06/07) um edital de convocação aos cotistas, referente à AGE (Assembleia Geral Extraordinária) a ser realizada no dia 24/07, com o objetivo de discutir a aprovação da destinação dos recursos da potencial venda do Conjunto de escritórios 601, do Edifício Corporativo Pedro Mariz, localizado na cidade de São Paulo, aos cotistas. Além disso, também serão colocados em pauta as medidas necessárias para a concretização do negócio.

Esta edição fica por aqui!

Você está gostando da newsletter Construindo seu Futuro? Por favor, não deixe de enviar sua opinião para [email protected].

Uma ótima semana a todos.

Um abraço,

Raul Grego

A Eleven conta com um produto especial para quem quer investir no mercado imobiliário. É o Riqueza em Construção! Com ele, você tem as melhores análises e recomendações sobre FIIs de diferentes setores.

Não perca esta janela de oportunidade do mercado, clique aqui e conheça o Riqueza em Construção agora!