Ibovespa ainda acima dos 64.000 pontos

Volatilidade e risco. Entender que uma ação em queda momentânea não necessariamente é mais arriscada do que outra estável é fundamental.

Minério desabando, petróleo em queda. VALE5 -3,86%, PETR4 -1,30%, PETR3 -1,30%. Tudo desenhado para um dia de forte ajuste.

O principal índice da Bolsa brasileira registra queda de 0,27%, mantendo-se acima dos 64.000 pontos mesmo com fortes “ataques” vendedores. Os quase R$ 6 bilhões em volume negociado deixaram o dia ainda mais volátil com muita coisa oscilando entre negativo e positivo. Mesmo com as fortes quedas dos papéis ligados ao minério, a recuperação das exportadoras, como BRFS3, MRFG3, SUZB5 e FIBR3 ajudaram a dar resiliência ao consolidado.

Destaque do dia para os papéis da Azul, que com o fechamento de hoje (+4,64%), acumulam 13,8% de valorização desde o IPO. Se você ainda não conhece a tese de investimento, a análise assinada por Giovana Scottini e Daniela Bretthauer merece ser conferida.

Do lado Macro, cresceram as apostas em um corte mais intenso dos juros pelo BC após a divulgação da ata do COPOM. Conforme apresentado pela nossa equipe no Macro Brasil 2017 de Abril, que foi ao ar hoje, seguimos esperando corte de 100 bps na próxima reunião. Em nosso relatório mensal, nosso time apresenta todas as projeções para PIB, inflação, juros e câmbio. Mercado de juros futuros mostrou fechamento ainda maior na curva de curta duração, mostrando convicção na intensificação do ritmo dos cortes em 2017, porém ainda uma dose de ceticismo em relação ao ciclo mais longo, ainda dependente das reformas estruturais.

Enquanto isso, Brasilia segue fazendo seu jogo de xadrez. O adiamento da leitura do relatório sobre a Reforma da Previdência visa certamente mais tempo para as negociações de bastidores. Cada vez mais as equipes de Meirelles, Marcelo Caetano e Mansueto Almeida têm atuado para mostrar a inevitabilidade da contenção dos gastos e a consequente obrigatoriedade das aprovações. Infelizmente o legislativo ainda parece mais atento aos sons que vêm do STF do que das equipes técnicas da Fazenda.

Por aqui, nosso time de Renda Fixa têm ressaltado aos clientes múltiplas estratégias de aproveitamento do cenário de queda estrutural dos juros e da inflação, impulsionando rendimentos para os mais diversos perfis de investidores. Tesouro Direto e outras opções formam o cardápio recomendado pelo time liderado pelo Rafael Bevilacqua. Nesta terça tem mais novidades em estratégias com LTN e NTN-F.

Para amanhã seguimos de olho na China e acompanhando as dinâmicas geopolíticas que tendem a fazer preço nos ativos atrelados às commodities.

Hoje é um daqueles dias que parecem sem graça, mas mostra uma força típica de um mercado em transformação. Para melhor!

Amanhã tem mais Brasil!