O tempo passa: 69.000 pontos, 91 dias depois do Joesley. O Brasil tem saída, lembram?

Passados 61 dias depois do Joesley, o mercado agora começa a normalizar. Confira no post de hoje aqui no blog da Eleven Financial.

Confesso que ao revisitar a carta aberta ao público feita ainda na noite do dia 17/05, respiro com um belo alívio , ao ver que a nossa leitura sobre a dinâmica do mercado foi diligente, correta e está mais do que materializada nos números atuais.

Republico aqui trecho fundamental daquele fatídico 17/05:

O que fazer?

  1. A tendência natural é de reagir acompanhando o espasmo e o pânico instaurado. Abrimos este texto afirmando “Michel Temer não tem saída. O Brasil tem!“. A situação demanda serenidade e frieza. Temos sucessivamente ressaltado que o fundamento sobrepõe o fluxo, quanto mais seguimos a linha do tempo.
  2. Cada investidor deve reconhecer a sua necessidade de liquidez e a sua condição de aguardar a estabilização do quadro. Não há materialidade de comprometimento sistêmico do mercado brasileiro, ou seja, a forte queda que deverá ser observada amanhã não apaga o renascimento da economia que vem sendo registrado e está formalizado nos balanços do primeiro trimestre e nos dados de atividade. O longo prazo não acaba amanhã!
  3. A opção de “liquidar” suas posições imediatamente só deve ser adotada por aqueles que NÃO possam absorver as perdas e que não têm condições de aguardar a re-estabilização do ambiente e por consequência, dos preços de todos os ativos.
  4. Para aqueles investidores com disponibilidade de recursos e tempo, o pânico e a iminente queda aguda pode abrir oportunidade tão sem precedentes quanto o desmantelamento do esquema.

Independente do viés político, os fundamentos econômicos estavam consolidados. O consenso de mercado errou o ritmo de recuperação de TODAS as crises mais recentes. Nossa projeção de PIB, levada ao mercado em nosso relatório Macro publicado após os eventos de Maio, seguia projetando um crescimento de 1,5% em 2017. O relatório pode ser acessado aqui.

Aqueles mais adeptos da teoria do caos, passaram a afirmar que a confiança havia sido perdida e que tudo tinha ido “por água abaixo”. Pois é, mas se alguma vaca foi para o brejo, era Friboi. A realidade estrutural da economia brasileira, ainda apoiada em uma equipe econômica altamente técnica, comprometida e focada no longo prazo, seguiu seu ritmo de recuperação. IBC-BR divulgado ontem mostra mais uma alta. Vendas no varejo seguem surpreendendo. Taxas de juros caindo tanto via Banco Central, como (mesmo que lentamente) nas linhas de crédito para pessoas físicas e empresas.

A temporada de divulgações de resultados do segundo trimestre mostrou uma recuperação consistente. O endividamento geral das companhias está reduzindo e os investimentos retomando. O volume de emissões de dívida (captações) das empresas no mercado de capitais vem superando todas as melhores expectativas. A (sim, foi aprovada) Reforma Trabalhista destrava diversos movimentos de recontratação e abre espaço para geração de renda.

E a Bolsa. Bom… o fechamento de hoje foi 68.714 pontos, ACIMA dos 68.684 pontos da véspera da hecatombe.

O risco país piorou muito? Desculpem-me os pessimistas, mas o CDS (indicativo de risco) está em 203 pontos. ABAIXO dos 206 pontos pré-Joesley.

E o fluxo de capital estrangeiro? R$ 5,8 bilhões de saldo POSITIVO desde 17/05 na Bolsa brasileira, com acumulado no ano superior aos R$ 10 bilhões.

A economia real está aí, sobrevivendo às barbaridades palacianas e judiciais.

O espaço para criação de valor está consolidado. As oportunidades ao alcance das mãos daqueles que, com toda a responsabilidade e consciência, escolherem criteriosamente onde investir. Se as manchetes de jornal são desmotivantes, leia somente os cadernos de cultura. Estude, aproveite sua família, e caminhe ao lado daqueles que efetivamente constroem e agregam valor às suas vidas.

O custo de oportunidade para aqueles que pretendem ficar somente esperando pelo pior nunca foi tão grande. Viva, invista! Estamos vivendo a história, e virando o jogo.

Ótimo final de semana a todos!

Adeodato Volpi Netto