Pedro Parente salvou o índice

Mercados globais reacomodam após o pânico da semana passada, trazendo fluxo comprador para Bolsa brasileira. DI e câmbio em queda. Entenda as razões.

O Ibovespa reverteu tendência de queda e encerrou o pregão com alta de 0,11% aos 57.647 pontos, em meio às perdas dos preços do petróleo no exterior e bolsas americanas operando em leve baixa. Os destaques corporativos do dia foram: Petrobras, que ao chamar uma coletiva surpresa de imprensa reverteu as perdas fechando perto da estabilidade, aliviou a pressão vendedora sobre o Ibovespa. Além dela, Braskem, que fechou acordo de leniência, subiu mais de 3%.

Dentre os papéis do Ibovespa as maiores altas foram CCRO3 (+4,35%), SMLE3 (+3,80%) e Cielo (CIEL3 +3,35%).

As maiores quedas do dia ficaram com pares do setor elétrico. Cemig (CMIG4, -2,02%)  e (CPLE, -2,69%).

Grande destaque para a integrante da Carteira Eleven, SAPR4. Alta de 4,5% no dia seguinte ao chamado re-IPO mostrou quão sólido é o case de investimento. Conheça todos os detalhes da oportunidade que promete ser um dos principais ativos da Bovespa em 2017. Acesse a análise de Sanepar!

Dólar

Dólar recua frente ao real seguindo exterior. IPCA-15 mais fraco também contribui para performance positiva do real. O real encerrou o pregão com queda de -0,33% (3,33 BRL/1,00 USD) e aumenta a expectativa sobre uma queda mais aguda de juros.

prec%cc%a7os