Primeiro foi o Joesley, agora é o Lula! Mas o Rei segue o mesmo!

por  Adeodato Netto

Estrategista-Chefe

Enquanto o Brasil calava, incrédulo, viralizando a nota de Lauro Jardim sobre a (ainda suposta) gravação feita de Michel Temer por Joesley Batista, ocupamos nosso lugar vindo a público apresentar nossa leitura dos acontecimentos e zelando por você, investidor que deposita sua confiança em nosso trabalho e responsabilidade.

Ainda na noite do dia 17, alertamos sobre nossa visão da dinâmica pós-evento!

Quais são os principais efeitos práticos esperados?
1. Ações: Venda massiva, principalmente daquelas ligadas ao poder público, como Petrobras, Banco do Brasil, além dos papéis do sistema financeiro
2. Dólar: Abertura do mercado em forte alta, com Real sendo muito desvalorizado em função da ruptura do projeto de estabilização e do alcance potencial da bomba que implodiu Brasilia.
3. Títulos Públicos: Dia pode ser muito volátil para os títulos públicos atrelados à inflação e com relação direta com a trajetória dos juros, principalmente as NTN-B’s.”

E apontamos nossa recomendação:

O que fazer?
1. A tendência natural é de reagir acompanhando o espasmo e o pânico instaurado. Abrimos este texto afirmando “Michel Temer não tem saída. O Brasil tem!“. A situação demanda serenidade e frieza. Temos sucessivamente ressaltado que o fundamento sobrepõe o fluxo, quanto mais seguimos a linha do tempo.
2. Cada investidor deve reconhecer a sua necessidade de liquidez e a sua condição de aguardar a estabilização do quadro. Não há materialidade de comprometimento sistêmico do mercado brasileiro, ou seja, a forte queda que deverá ser observada amanhã não apaga o renascimento da economia que vem sendo registrado e está formalizado nos balanços do primeiro trimestre e nos dados de atividade. O longo prazo não acaba amanhã!
3. A opção de “liquidar” suas posições imediatamente só deve ser adotada por aqueles que NÃO possam absorver as perdas e que não têm condições de aguardar a re-estabilização do ambiente e por consequência, dos preços de todos os ativos.
4. Para aqueles investidores com disponibilidade de recursos e tempo, o pânico e a iminente queda aguda pode abrir oportunidade tão sem precedentes quanto o desmantelamento do esquema.

E agora, em 2018, onde estamos?

Ibovespa, acompanhando as principais Bolsas globais, segue renovando máximas históricas e os ganhos em diversos ativos vem sendo suficientemente alto para abrir espaço de realização. É nosso papel lembrar que os investidores habitualmente utilizam gatilhos, ou eventos específicos não ordinários, para apertar o botão da venda, visando embolsar lucros e abrir janela de compra para o início de um novo ciclo.

Quem é maior, Lula ou Joesley?

Sem comparar os indivíduos, obviamente, a intenção é a dimensão dos eventos! O imponderável do dia 17/05 não está aqui presente. Nem mesmo uma absolvição (Deus nos livre) do ex-Presidente proporcionaria tamanha ruptura de expectativas.

Então não preciso me proteger?

Lembro-me da minha avó, em Curitiba, que sempre me recomendava: “vai sair, leve uma golinha olímpica”! Para viver o dia do julgamento e aqueles que virão em seguida, trago uma recomendação de proteção:

Cash is King!

A ideia de que uma “put” é seguro suficiente de patrimônio, desconsidera a diferença das dinâmicas envolvidas em cada modalidade de investimento, a intensidade das variações e o tempo que cada um tem em seu ciclo e objetivo particular.

Estruturalmente estamos mais do que nos trilhos. Não há surpresas no radar. Todos sabíamos que 2018 traria julgamento do Lula, eleições majoritárias e gladiadores (sem pedigree) travariam a batalha das reformas. Assim, o vento sopra para o mesmo lado, com algumas tempestades de verão.

Para sairmos mais fortes da volatilidade e da pressão negativa (se é que virão), nada como a serenidade, o foco e o dinheiro! Se houver realização, haverá oportunidades.

Foi assim em janeiro de 2016, maio de 2017 e pode ser mais uma vez agora! China, Temer e agora o TRF4.

Mudam os personagens, os súditos, mas o Rei segue o mesmo! Nada de vendaval, dinheiro na mão é garantia de vantagem nas oportunidades. Nada de pânico nem de sair vendendo seu portfolio. O fundamento e o tempo jogam a seu favor.

O Rei está contigo! Esqueçam os bobos da corte e vamos em frente!