Semana (da crucificação) que vai, semana (da crucificação) que vem!

Os ajustes nos pareciam óbvios e nossa insistência no "call de venda" tanto para PETR3 quanto PETR4 foi ratificado pelo que a companhia apresentou.

Quando uma semana é curta, parece que a coisa será meio morna. Mas não por aqui, na terra do pau-brasil.

Começamos a segunda alertando para os resultados que seriam divulgados ao final daquele dia de Petrobras. Os ajustes nos pareciam óbvios e nossa insistência no “call de venda” tanto para PETR3 quanto PETR4 foi ratificado pelo que a companhia apresentou. Muito mais do que gostaríamos, a ex-queridinha nacional tomou espaço de nossas análises. Resultados como pré-sal, cada vez mais fundo deu o tom da realidade da companhia.

Uma terça-feira movimentada teve Tuesday Caplet lembrando histórias de como o “drive” de Delfim Netto foi definido nos tempos de Costa e Silva. Em “A guerra tem fim, ou é sem fim?“, tratamos da batalha declarada entre executivo e judiciário. Ainda na terça, dia 22, nosso time do Elevenconomics abordou “o significado econômico do formato de uma curva de juros“, mostrando quanto o mercado de derivativos pode trazer armadilhas e também oportunidades aos mais alertas em quadros de volatilidade.

Na quarta-feira, 23, o resultado do IPCA-15 dividiu opiniões. Aliás, como tudo recentemente no país. Enquanto alguns entendem que é um reflexo da capacidade de controlar a inflação, seja via Banco Central ou por qualquer outra ação do governo, outros tratam como resultado de uma desaceleração tão brusca da economia que nem a inflação consegue subir, quiçá o PIB. Abordamos isso em “Mercado morno“. No mesmo dia, “O otimismo pode queimar em fogo alto” tratou de lembrar a todos o nível de resistência do PT e seu projeto de poder, cuidando para ressalvar os efeitos colaterais econômicos desta suposta força.

A quinta-feira, 24, reservou espaço em nossas análises para a barbaridade proposta no ajuste da LDO, depositando no colo da sociedade um déficit de R$ 100 BILHÕES. Junto com Barbosa vieram os resultados da Oi. Companhia que tanto ressaltamos nos últimos meses pela fragilidade e falta de capacidade de recuperar sua rentabilidade e atratividade. Aliás, tamanha é a semelhança do descaminho das finanças das duas partes que “Governo e Oi lado a lado… e morro abaixo” abordou a profundidade da crise para ambos.

Nossos votos de uma Feliz Páscoa vieram com “O chocolate que pode mudar o mundo“. Sérgio Moro apontado pela Forbes como a 13a. personalidade mais influente do mundo, num contexto de mudança, carrega a esperança de um Brasil menos coronel. Menos assistencialista, artificial. Uma sociedade que pare de criar dificuldades para vender facilidades. É por aí que vai nossa luta!

Neste domingo, nosso chefe de mercado de capitais, Adeodato Netto, trouxe um editorial sobre tudo o que aconteceu no país durante a Páscoa. Bastidores, expectativas, processos e impactos. “A Páscoa é o que mesmo?” trata de uma forma aberta os principais aspectos que vão nortear a semana que vem!

Segunda-feira promete ser intensa. PMDB do Rio de Janeiro parece ter sido obrigado a passar o feriado em Maricá. “Quase” todo mundo muito descontente. Eduardo Paes e Leonardo Picciani parecem ser os únicos agarrados ao bote salva- vidas de número 13.

Um mercado pró-impeachment pode iniciar a semana com pressão de alta. Mais uma vez nos cabe lembrar que nem Temer, nem Cunha, Jesus ou Maomé seriam capazes de colocar a economia brasileira nos eixos imediatamente.

Após a divulgação dos dados da economia dos EUA no final da semana que passou, pode aumentar a especulação de subida de juros por lá, o que invariavelmente traz pressão cambial ao nosso mercado. Muita espuma e pouca vida.

Armínio, Meirelles, Serra (sério?) e Delfim (Tuesday Caplet que o diga) devem seguir acordando cedo.

Após tanto tempo sem culpar a China por nada, pode haver alguma “notícia” vinda de lá que pareça criar alguma nova tendência aos mercados, principalmente de commodities. Se você não tem algumas dezenas, para não dizer centenas, de milhões para jogar o jogo das duas pontas, siga fora dos papéis mais líquidos e voláteis.

Se tiver muita vontade de VALE5, PETR4, USIM3, USIM5 ou algo do gênero, tente prestar atenção no grupo do amigos do tempo de faculdade no whatsapp, ou até mesmo o da família. Se alguma tia idosa faleceu, um dia fora dos pregões, em respeito ao brasão pode lhe poupar um bom dinheiro.

Esta semana há o que Temer!

Mais uma semana de cuidado, e ótimos negócios!