Sunday Prates: A característica comum das grandes empresas da Bolsa

Um dos principais indicadores de valor de mercado de uma empresa está nos retornos que ela irá gerar acima de seu custo investido.

Um dos principais indicadores de valor de mercado de uma empresa está nos retornos que ela irá gerar acima de seu custo de capital investido daqui para frente. Claro que não podemos esquecer que fluxos de caixa futuros envolvem uma importante dose de incerteza. Assim, parte relevante da análise, muito antes de abrir um arquivo de excel, é entender a natureza do negócio de uma empresa, ou seja, se ela é capaz de produzir esses retornos acima da média, mas, principalmente, se ela será capaz de manter esses retornos no futuro.

O problema central do capitalismo é que uma vez que uma empresa apresenta retornos sobre o capital investido (ROIC) muito acima do custo associado a esse capital ela chama a atenção de novos players. E a consequência da entrada de novos concorrentes, em decorrência do óbvio aumento da competição naquele mercado, a briga por preços pode derrubar as margens de lucros.

No entanto, existe um grupo de empresas especiais que mesmo obtendo retornos elevados por muito tempo, conseguem manter diferenciais por muitos anos. Em alguns casos, os fatores de diferenciação são tão sólidos, que simplesmente não há entrada de qualquer outro competidor.

Warren Buffett em uma de suas cartas definiu a forma como enxerga uma empresa para se investir no longo prazo: “A chave não é avaliar o quanto uma indústria vai afetar a sociedade, ou quanto ela vai crescer, mas sim determinar a vantagem competitiva da empresa e, acima de tudo, a durabilidade dessa vantagem. Produtos ou serviços que constroem uma grande e sustentável barreira ao seu entorno irão entregar as maiores gratificações para os investidores.

Um caso prático de Manoel e Joaquim

Vamos a um exemplo ilustrativo. Manoel e Joaquim eram dois irmãos, que, como os nomes indicam, eram descendentes de avós portugueses. A padaria do Manoel iniciou sua operação com altos lucros em um bairro ainda sem concorrência. A entrada de novos players, que produziam o mesmo pão francês, fez com que o ROIC do nosso primeiro personagem convergisse para seu custo de capital. Joaquim, vendo essa situação, pensou em vender doces portugueses com a receita de família. O resultado foi que como essas receitas secretas não eram replicáveis, seu sucesso com a clientela só aumentou, e, por mais que tentassem, ninguém conseguia repetir a sua qualidade. A falta de barreira de entrada fez toda a diferença entre o sucesso dos dois irmãos.

“Se vc não tem vantagens competitivas, não compita.” – Jack Welch

Em seu livro “De zero a um”, o empreendedor Peter Thiel faz algumas considerações sobre a construção de um negócio de sucesso. Embora o livro tenha o foco na criação de startups, tem implicações diretas ​​em análise de negócios e investimento.

Segundo Thiel, a diferença entre um grande negócio e aqueles que estão destinadas a uma dura luta por quaisquer migalhas de lucro, é que enquanto a grande maioria pensa em como vencer seus competidores vendendo o mesmo produto ou serviço, uma minoria pensa em como não competir. Ou seja, criar um modelo de negócios que não seja replicável por muitos concorrentes deixa essas empresas em condições de obter margens de lucro significativamente acima de seu custo de capital.

“Escapar da competição lhe dará um monopólio, mas mesmo um monopólio só será um grande negócio se conseguir se sustentar no futuro.” – Peter Thiel

E como é uma empresa com grandes fluxos de caixa no futuro? Cada caso é único em suas características de modelo de negócio e segmento da economia, mas eles geralmente compartilham alguma combinação das seguintes características: economias de escala, marca forte, dificuldade de mudança ou efeitos de rede.

·       Vantagens de escala são mais importantes nas indústrias onde o preço é parte decisiva na escolha do cliente. As vantagens de custo podem criar fossos em mercados onde um produto ou serviço tem um substituto facilmente disponível. Exemplo marcante desta característica dentre as companhias analisadas pela nossa equipe é a Raia Drogasil.

·       Marcas populares nem sempre são rentáveis. Se uma empresa não consegue fazer os consumidores pagarem mais por sua marca em relação à do concorrente, mesmo sendo mais conhecida, ela não tem uma vantagem competitiva. A incapacidade recente de manter esta característica machucou os números e as ações da Ambev.

·       Empresas que conseguem criar dificuldades para o cliente trocar de marca ou serviço criam custos de mudança. E se esse cliente é menos propenso a mudança, a empresa pode cobrar mais, o que ajuda a manter altos retornos sobre o capital. Um belo exemplo dentre as companhias recomendadas pela Eleven com esta característica é a Senior Solution.

·       A empresa se beneficia do efeito de rede quando o valor de seus produtos ou serviços aumenta com o número de usuários, pois depende da interação dos usuários. Cartões de crédito, plataforma de vendas online, e algumas trocas financeiras são bons exemplos.

A oportunidade de se tornar sócio em empresas com fortes barreiras à entrada de competidores, especialmente quando estão descontadas pelo mercado, tem potencial para obter retornos sobre o investimento elevado por muitos anos. Sua análise nem sempre é tão óbvia, e algumas não foram precificadas corretamente pelo mercado. Encontrá-las nesse momento gera um valor enorme para uma carteira de ações. Foi utilizando este racional que formamos logo em nosso lançamento a Carteira Eleven, que combina companhias com grande potencial de valorização e diferenciais que permitam que a convergência entre preço e valor aconteça ao longo do tempo, maximizando os retornos com sólido controle de riscos.

Diferenciação não acontece por quantidade de papéis, mas pela qualidade das escolhas. Contem sempre conosco para apontar as melhores opções na visão da nossa equipe.

Tenham todos uma excelente Páscoa!