Sunday Prates: Não se iluda pelo acaso

A volatilidade mede o grau em que o preço da ação variou, para cima e para baixo ao longo de um período arbitrariamente definido.

O Sunday dessa semana será dedicado àqueles que não são muito ligados ao Carnaval – até porque os que curtem as festas não estarão muito no clima para ler sobre os mercados financeiros nos próximos dias. Para o grupo dos que estão ilhados em casa entre os bloquinhos carnavalescos reservamos uma dica de leitura.

O livro chama-se “Iludido pelo Acaso – A influência oculta da sorte nos mercados e na vida”, do estatístico/trader/filósofo libanês Nassim Nicholas Taleb, e não foi escolhido por acaso (perdoem o trocadilho, foi mais forte). O ponto é que estamos definitivamente vivendo um período de Bull Market na Bolsa brasileira. E isso é muito perigoso para os investidores, principalmente os menos calejados.

Explico: em momentos de euforia no mercado acionário, é comum vermos aos montes pessoas de fora do meio financeiro obtendo ganhos muito altos. Ganhos normalmente que superariam largamente seus rendimentos mensais. O risco que surge nesse momento é que as pessoas acabam sendo iludidas pela aleatoriedade. Elas estavam no lugar certo, na hora certa.

Bull markets podem ser perigosos ao confundirem habilidade de obter ganhos recorrentemente elevados com aleatoriedade (sorte) na cabeça do investidor. E dessa confusão podem surgir duas atitudes de consequências igualmente desastrosas: (1) largar o emprego para virar trader na Bolsa, comprando e vendendo ações e lucrando diariamente com essa atividade, e (2) tomar muito mais risco do que um investidor prudente tomaria.

O primeiro risco é o mais óbvio. Como diria o poeta “this too shall pass.Os ciclos viram. Pro bem e pro mal. Se você entender essa singela frase, não cometerá o erro de confundir uma habilidade extraordinária com estar num momento onde a grande maioria das ações está subindo – algumas boas, com ganhos sustentáveis, outras ruins, que fatalmente convergirão para sua média medíocre. E esse retorno pode ser bem menos doloroso se você não tiver largado o seu emprego de dentista, bibliotecário, motorista, ou o que quer que lhe garanta uma renda mensal.

Sobre o segundo risco: nem toda ação q subiu muito nos últimos meses tinha uma assimetria retorno x risco favorável a priori. O fato de determinada ação ter subido não quer dizer, necessariamente, que a decisão em “Tzero” foi acertada, pois devemos levar em conta a probabilidade daquele papel afundar em caso de outros cenários possíveis terem se materializado. Aqui vale um parêntese: uma definição interessante sobre risco: mais coisas podem acontecer do que de fato irão acontecer.

Portanto, se o investidor continuar fazendo apostas em ações com assimetrias desfavoráveis, será questão de tempo até que a sorte pare de lhe sorrir. Nesse momento, se ele não estiver devidamente diversificado, esse erro de avaliação pode ser fatal aos seus investimentos.

Quando desenhamos o modelo da Carteira Eleven, a idéia era exatamente conseguir levar ao máximo de perfis possível, uma clara demonstração de como podemos equilibrar risco e retorno. Bater o principal índice da Bolsa brasileira, seja em 18 meses, 12 meses, ou mesmo neste início fortíssimo de ano, é tudo menos fruto do acaso. Para que pudéssemos escolher cada combinação de ativos, fomos fundo nas verdades de cada companhia. Para nós, uma ação não é um código ZZZZ3, mas a representação de um negócio na vida real, com fundamentos, diferenciais e riscos.

A compreensão do macroambiente, daquilo que efetivamente consolida a diferença entre o factual e o aleatório é fundamental para compreender as decisões de investimento, principalmente quando a manada corre com todo ímpeto para o mesmo lado.

Essa pequena resenha não esgotou nem de longe o tema. Todos os dias, investidores dos mais experientes aos novatos são iludidos pelo acaso. Se você conseguir permanecer humilde frente ao que não pode controlar, estará um passo à frente para obter retorno satisfatórios, sem incorrer em riscos que podem acabar te tirando do jogo.

Fica aqui então a dica de leitura para o carnaval. Neste caso, aprecie sem moderação!