Terça-Feira derreteu!

Kroton (KROT3) - 10,24% e Ser Educacional (SEER3) -8,56% são as que mais sentem no setor. Veja em mais um post da Eleven Financial.

Às 15:00hs desta terça-feira 22/09, alguns papéis derretem na Bovespa, puxando o mercado todo para baixo e impulsionando a forte valorização do dólar que atinge patamar recorde de R$ 4,06.

São múltiplos setores que projetam impactos altamente negativos em suas companhias e seus segmentos. Diversas exportadoras, que olhando isoladamente o câmbio, teriam a tendência de alta não conseguem superar o pessimismo e a angústia que toma conta do peito dos operadores de mercado com o resultado imponderável da relação político-institucional brasileira.

Profarma (PFRM3) caindo 8,45%, PDG (PDGR3) que foi tema de um artigo recente nosso (Armadilhas da Bolsa – para assinantes), cai 14,29% dando sinais que o fim da linha pode estar próximo. A GOL (GOLL4) detentora de pelo menos um terço do mercado brasileiro de aviação sofre com a cada vez mais provável insustentabilidade de suas finanças, caindo 8,07%. A companhia aérea que outrora foi uma aposta de ouro do mercado, puxa para baixo sua parceira Smiles (SMLE3), derretendo – 11,65%. Rumores tratam da possibilidade de substituição do CEO da companhia Paulo Kakinoff.

As educacionais que já vem sofrendo demais com as suscessivas mudanças nas regras do financiamento estudantil, hoje receberam uma dura notícia com a possibilidade da criação de uma CPI do FIES para apurar eventuais irregularidades na gestão destes recursos. Kroton (KROT3) – 10,24% e Ser Educacional (SEER3) -8,56% são as que mais sentem no setor.

Na telefonia, a OI (OIBR3) sente o impacto da concentração de sua dívida em moeda forte, que cresceu por exemplo em Euros de 6,7% do total para 37,7% nos últimos 12 meses e apresenta queda de 7,18%.

Dentre as pouquíssimas altas do pregão, vale ressaltar Localiza (RENT3) uma companhia com histórico muito resiliente e solidez financeira, hoje com alta de 1,8%. Fibria (FIBR3) uma exportadora que temos acompanhado de perto, com alta de 3,22% e CSU Cardsystem, primeira companhia coberta pela Eleven Financial em alta aproximada de 1%. A catarinense Tupy (TUPY3) também se segura ao redor de +1,5% no meio do furacão.

O quadro é muito volátil e as projeções cada dia mais duras. Saber onde se apoiar é fundamental. Nestes momentos aparecem diversas oportunidades, muitas vezes ofuscadas pelo medo ou pelo terror generalizado. É para isso que investimos na Eleven. Acompanhar nosso público exatamente nas horas em que vira “cada um por si”. Seguiremos aqui de olho. Assine e acompanhe!