Termômetro do Mercado – Tuesday Caplet em: Os sete pecados capitais – Capítulo 1: Ira!

A partir de hoje, a newsletter Termômetro do Mercado publica uma série de textos especiais em que Tuesday Caplet reflete sobre os sete pecados capitais. No primeiro deles, o investidor mais antigo e ainda vivo do mundo fala sobre a ira, além de contratos futuros e derivativos.


Minha primeira experiência com contratos futuros e derivativos foi em 1560, que eu relatei no texto história da rua dos muros, hoje, Wall Street. Embora aquela passagem pudesse ser também enquadrada no capítulo “ganância” dessa série especial que vamos publicar nas próximas semanas, recordo ela aqui como uma prévia do relato que tenho para hoje. A ideia de trazer os sete pecados capitais é para demonstrar, como vi e vivi ao longo de 559 anos, momentos da mais pura manifestação de como os piores vícios humanos impactam os investimentos.

As vendas de contratos futuros de navegação bombaram. Os tais derivativos estavam na moda no porto da Nova Amsterdã, habitualmente chamada no século de vocês de Nova York. Southampton era o destino mais procurado e, por consequência, mais caro.

A venda dos espaços nas embarcações que ainda nem estavam construídas estava muito acima dos volumes de carga a serem produzidos e embarcados pelos portos da região. Ninguém fazia conta. Era o século XVII e todos acreditavam que o mundo estava aos pés dos detentores do dinheiro e dos meios para atravessar oceanos, romper barreiras e encontrar novos destinos.

As transações alcançavam valores impensáveis. Por exemplo: a opção de ocupar um espaço em um navio chamado “Estrela Solitária”, que faria sua primeira viagem aproximadamente 14 meses à frente, custava mais caro do que uma vaga existente na próxima embarcação para o mesmo destino no dia seguinte. Um grupo de supostos investidores apareceu com um projeto que saltou aos olhos de todos.

Seriam três navios, maiores do que todos os outros já construídos. Combinariam a capacidade de levar passageiros e metais preciosos para a Europa em tempo recorde e custando cerca de 30% menos que a média dos contratos futuros de navegação ali negociados. TraveleX, Xpeedest e MiXtery eram seus nomes. Suas apresentações haviam sido feitas pelos melhores desenhistas da região. Desenhos sobre seda e feitos com as penas mais raras que se podia encontrar encantavam os comerciantes e moradores, que juntavam suas economias e faziam questão de garantir seu quinhão daquela companhia fabulosa.

Eles transformariam o mundo. Nada mais seria longe o suficiente. Muito rápido, o presidente da companhia dona dos navios, Mr. Heyx Lutheran, passou a exigir cada vez mais dinheiro por partes menores da empresa. Não satisfeito, passou a ostentar a riqueza conquistada com a venda das chamadas cotas especiais, que posteriormente passaram a ser chamadas de ordinárias.

Carruagens, ouro, banquetes e festas. Homem de muitas mulheres, um dia Mr. Lutheran parecia ter encontrado o amor. Quis fazer dela a rainha de Nova York. Deu a ela um colar de pérolas negras oriundas de ostras especiais cultivadas em áreas onde viviam polvos de seis tentáculos. Na ponta deste colar um diamante lapidado em forma de X. Eles ficaram conhecidos pelos portos de toda a costa americana e europeia. O nome dela lembrava uma árvore cujo fruto era uma iguaria à época, mas confesso que me falha a memória. Não era Palmeira…

Seu enriquecimento foi meteórico. Uma das primeiras consequências foi o despertar da ira* naqueles que, até então, dominavam a navegação.

Ira: intenso sentimento de ódio, de rancor, geralmente dirigido a uma ou mais pessoas em razão de alguma ofensa, insulto etc., ou rancor generalizado em função de alguma situação injuriante; fúria, cólera, indignação.


Quer capturar ganhos de curto prazo na Bolsa?

Com o Fusion Analysis, você pode investir com recomendações de day trade, swing trade, Long&Short e aluguel de ações.

Esse produto pioneiro no mercado combina as análises técnica e fundamentalista e já tem rendimento acumulado de 54,10%

Conheça o Fusion Analysis.


Quatro donos de navios que efetivamente existiam, o que era por si só curioso, uma vez que o complexo naval de Mr. Lutheran ainda não passava de um grande punhado de nobres sedas com desenhos de navios, uniram-se para derrubar o aventureiro. Começaram uma campanha pedindo o boicote das viagens prometidas. Afirmavam saber que, onde deveriam estar os estaleiros, havia nada mais que mata virgem, isolada e inacessível.

Os empresários locais estavam sucessivamente perdendo cargas e clientes. Afinal, produtores e viajantes passaram a adiar seus embarques, comprometendo seus projetos para serem os primeiros a viajar pelo MiXtery, a primeira monumental embarcação do Mr. HeyX. Decidiram que iriam fazer uma viagem até o local onde os supernavios estavam sendo construídos. Mas não tinham recursos suficientes. Fizeram as contas.

Quanto dinheiro conseguiriam receber se desmascarassem a farsa e retomassem o controle do tráfego nos principais portos da costa. Parecia simples. Era só conseguir recurso de muita gente, que poderia ser devolvido com acréscimos após o benefício final ser alcançado. À primeira vista, algum “millenial” pode querer dizer que foi um dos primeiros movimentos de crowdfunding. Garanto que não foi!

Basicamente toda a comunidade de Nova York estava tomada pela ira. Mr. Lutheran parecia monopolizar todos as riquezas disponíveis na região. Já prometia estradas, comprou tavernas sem pagar, prometendo expansão dos negócios para todo o novo mundo. “Há muita América ao Sul. Teremos tavernas por todos os portos e vocês viverão de forma nababesca para sempre”. Quanto maior o número de iludidos, maior o número de furiosos.

Um belo dia, ainda sem conseguir custear o projeto de desmantelamento da farsa, um dos investidores mais velhos da região resolveu me escrever.

Dizia sua carta:

Dear Mr. Caplet,

There is a huge fraud happening close to Wall Street. Shipments are being cancelled and people are buying and giving all their money to a man whose ships have never sailed. There is more than anger. Rage is everywhere. We are afraid of losing control. Please help us find a solution.

Yours truly, Bruce Westinghouse

Foi em um dos navios de Bruce que eu viajara atrás dela. Foi graças a ele que cheguei à América. Respondi imediatamente.

My good friend Bruce,

Stay calm. Instead of trying to go after him, make him came to you. Unite you stand. Divided you fall. Bring all your partners and play the market game. Offer greater benefits, for less money. You have the ships. You will sail, and prevail. 

Leave your rage behind! Leave rage! Best, TC

Bruce era um homem de sucesso, mas além de muito simples, estava no final de seus recursos. Com os navios parados não sabia mais o que fazer. Usou os recursos que tinha ao alcance de todos os seus parceiros e em uma briga aberta de mercado, matou de inanição o projeto de HeyX. Uma vez exposto, não houve mais como convencer seus “investidores” de que um dia sequer seus projetos seriam viáveis fora da seda e seus navios navegariam. Perdeu seu dinheiro, sua esposa, sua companhia e sua taverna. Ah, sua esposa antes de partir ficou com um pedaço da riqueza que tantos ostentavam, mais o colar, é claro.

Naquele momento, Bruce entendeu que quando não lhe restarem recursos, mas ainda lhe restar o crédito, a solução para buscar o que você espera é usar os recursos alheios. Leave Rage (abandone a ira) virou seu lema… como era de Birmingham, Alabama… sua pronúncia saía: “léverage”. E não é que o termo pegou…

Por muito tempo, todo mundo que precisava usar o dinheiro dos outros para investir ou tentar lucrar dizia… “leverage”!

Curioso como um dos pecados capitais quase criou um mito, mas, no fim, criou “só” uma maneira de investir!

Até a próxima!

PS: Me acompanhe no Twitter (@tuesdaycaplet).

BRF (BRFS3). O Conselho de Administração da companhia elegeu, por unanimidade, Lorival Nogueira Luz Jr., atual diretor vice-presidente executivo Global, para o cargo de diretor-presidente Global da BRF (CEO Global). O novo CEO tomará posse no dia 17 de junho de 2019, quando Pedro Parente deixará o cargo que vem exercendo desde 18 de junho de 2018. Pedro Parente continuará na posição de presidente do Conselho de Administração, para o qual foi eleito, em 26 de abril de 2018, para um mandato de dois anos. A transição seguirá em andamento nos próximos meses até a efetivação em junho. Pedro Parente e Lorival Nogueira Luz Jr. darão continuidade às iniciativas e à execução do plano estratégico aprovado no segundo semestre de 2018 e seguirão trabalhando em conjunto, dentro das respectivas atribuições.

Kroton (KROT3) e Somos Educação (SEDU3). A Somos Educação comunicou a aprovação pela Comissão de Valores Mobiliários da realização da oferta pública obrigatória (OPA) para aquisição de até a totalidade de ações ordinárias de emissão da Somos, por alienação de controle. Deferiu ainda o pedido cancelamento de registro de companhia aberta e sua consequente saída do segmento especial de negociação do Novo Mercado da B3 S.A. O Edital de convocação, com maiores informações, será publicado no Diário Oficial do Estado de São Paulo e no jornal O Estado de S.Paulo, no dia 3 de abril de 2019. A aquisição da Somos pela Kroton foi aprovada pelo Cade (Conselho Administrativo de Defesa Econômica), em setembro de 2018. Com a transação, a Kroton, líder em receita e número de alunos no segmento de educação superior privada, passa a ocupar a mesma posição no ensino básico. A Somos, a atual Saber Serviços Educacionais, tem como principais segmentos de atuação a educação básica por meio de sistemas de ensino e escolas próprias, cursos preparatórios, editorial e cursos de idiomas.

Marfrig (MRFG3). O ano de 2018 foi transformador para a Marfrig. A companhia saiu do negócio de frango, com a venda da Keystone Foods por US$ 2,4 bilhões, e também adquiriu o controle da National Beef, quarta maior processadora de carne bovina dos Estados Unidos. A aquisição levou a Marfrig ao posto de segunda maior produtora global de carne bonina, atrás somente da JBS. Com a venda da Keystone, a Marfrig conseguiu desalavancar, passando de uma dívida liquida/Ebitda de 4,55x no final de 2017, para 2,39x ao final de 2018. Por outro lado, a compra da National Beef preparou o terreno para novas aquisições nos EUA. Em março de 2019, a companhia já anunciou a compra do frigorífico Iowa, por US$ 150 milhões, em sociedade com a Sysco. Nos próximos anos, a Marfrig deverá se beneficiar do momento favorável do ciclo do gado nos EUA, além da abertura para novos mercados, que resultarão em aumento da exportação da carne brasileira. A febre suína africana, que tem afetado o rebanho suíno chinês, também deverá contribuir para o aumento das exportações brasileiras para o país asiático. Já no Brasil, alguns especialistas alertam para uma possível virada de ciclo, em 2019, com uma redução da oferta de gado e, consequentemente, aumento do preço do boi.

NotreDame Intermédica (GNDI3). A companhia anunciou, na última quinta-feira (28), que distribuirá aos seus acionistas, o montante total de R$ 79,3 milhões, equivalente a 25% do lucro líquido da empresa. A partir de ontem, as ações da companhia passaram a ser negociadas “ex-dividendos”.


Renda Variável é o produto da Eleven que entrega a maior cobertura de ações do mercado. Isso inclui empresas sólidas como Vale, Petrobras, Magazine Luiza e muito mais.

Trata-se de um verdadeiro apoio para o investidor que busca as melhores rentabilidades, o pagamento de dividendos e o controle de risco.

Nesse produto, você tem a real dimensão das empresas que oferecem oportunidades e quais são as armadilhas na Bolsa. 

Veja a caixa de ferramentas que está a sua disposição nesse produto:

  1. Relatórios sobre mais de 100 companhias;
  2. Guia Semanal de Recomendações;
  3. Múltiplas análises das principais companhias da Bolsa;
  4. Recomendações claras e completas, elaboradas com técnica e fundamento;
  5. Determinação de preço-alvo das ações e análise de risco;
  6. Vídeos explicativos;
  7. Canal de contato via Twitter e e-mail.

Saiba mais sobre o Renda Variável.