Tuesday Caplet em: Eclipse? Pense em ações!

Em pleno século XXI, quase cansado, mas ainda crente, tomo uma decisão de investimento por imposição e não por convicção.

Eclipse: evento astronômico que ocorre quando a posição de um objeto celeste em trânsito é coincidente ou atravessa, na posição aparente de outro, mais distante.

Respeito: demonstração de um sentimento positivo por uma pessoa ou para uma entidade e também ações especificas e condutas representativas daquela estima. Respeito também pode ser um sentimento específico de consideração pelas qualidades reais do respeitado.

Limite: Em matemática, o conceito de limite é usado para descrever o comportamento de uma função à medida que o seu argumento se aproxima de um determinado valor, assim como o comportamento de uma sequência de números reais, à medida que o índice (da sequência) vai crescendo, i.e. tende para infinito.

Minha preferida… “o limite da soma é igual à soma dos limites”

Não consegui publicar nesta terça (pelo que me desculpo), porque decidi vir à Singapura para assistir ao vivo ao eclipse solar total. Já havia algum tempo que eu adiava algumas reuniões por aqui. Acreditem, aos 555 anos eu não tenho mais a mesma disposição para voar 32 horas.

Mas o fenômeno tem um simbolismo importante na minha vida.

Dezenove de maio de 1780. Eu ainda jovem (havia recém completado 320 anos), idealista, vivi o dia mais escuro da história. Estávamos em Connecticut para uma reunião que tinha o único propósito de compreender os modelos de uma eventual segregação regional dos Estados Unidos, recém-independentes, com a finalidade de levar paz e desenvolvimento igual ao máximo de regiões que conseguíssemos.

Enquanto todos entravam em pânico ao ver o dia se tornar noite, e aqueles mais literais na interpretação das escritas sagradas remetiam ao apocalipse bíblico, eu só conseguia pensar na conjunção astral e na maravilha que Deus, ou simplesmente o Universo estava me proporcionando.

Sou ariano, de 08 de abril, como vocês já sabem. Meu signo é governado por Marte, Deus da Guerra na mitologia grega e ligado às lutas, virilidade e impulso animal. Mas meu ascendente é em câncer. Romântico, caseiro, que vive intensamente tudo a todo momento. Já tive mais demonstrações da assertividade da astrologia do que seria necessário para o mais cético dos céticos aceitar o imponderável.

Naquele dia, passei a entender que se sobrevivêssemos à mais absoluta escuridão, seria a prova definitiva de nossa grandeza. E por ela, deveríamos nos ater aos caminhos que fossem definidos por nossa convicção. Ali, aos 32 anos… um menino, tomei a perene decisão de viver e investir em tudo o que me fizesse sentido, no aspecto mais amplo que a palavra possa ter.

O tempo, amigo da alma e inimigo da calma, me fez compreender o quanto aquilo que nos move na essência é diferente do que nos impulsiona. Se a escuridão nos assombra, a certeza de que o eclipse é transitório, nos garante a chegada da luz. Respeite tudo o que lhe parece válido. O respeito é uma das formas mais importantes e verdadeiras de atribuir valor.

Não basta saber o que fazer, nem entender o que nos preenche a alma e dá razão a tudo se não houver AÇÃO. Investir nas ações que nos levem ao caminho que a vida tanto demora para nos mostrar vai muito além da rasa percepção de causa e efeito diretos. Newton, aquele menino genial, estava certo… mas era binário demais para compreender as verdadeiras motivações do ser humano.

Outra grande figura que conheci, Blaise Pascal, sempre dizia: “existem razões que a própria razão desconhece. Se tocares teu coração então, entregues!” Eu já tinha feito 500 anos quando conheci Linda Goodman. Ela me explicou como cada um dos astros age na condução de nossas vidas, na formação de nossa essência e, ao final do dia, da definição dos nossos destinos.

Mas não somos sozinhos no mundo. Tampouco podemos controlar todas as rotas, luzes e sombras que afetam o que nos cerca.

Em pleno século XXI, quase cansado, mas ainda crente, tomo uma decisão de investimento por imposição e não por convicção. Escolho a ação certa, com valor evidente e capacidade de crescimento exponencial. Quando decido mudar meus recursos e aportar tudo o que está disponível para comprar (e cumprir) este “novo” papel… vem a recomendação (ou imposição) de ficar fora dele. A justificativa da segurança me parece uma retórica vazia, considerando que é uma com-pa-nhia que vai muito além do comum. Extraordinariamente sólida e com investidores dispostos a tomar o controle, mas que ao final do dia, existe para o free-float. Em um país de rentista, a ilusão de que tudo em Renda Fixa é mais seguro do que em Renda Variável prevalece, mas não devia, porque não é verdade!

Deixo todo meu estoque de ativos prontos para migrar. Resgatei meus investimentos. A análise fundamentalista corrobora a tese, mas não há oferta para a ordem de compra que eu envio. Não quero mais o day-trade, a especulação. Quero o investimento de valor… mas não dá… tudo escurece e os recursos que eu jurava serem suficientes, mostram-se muito aquém do minimamente necessário para aquela proposta.

Não posso comparar aos comprados, ou aos vendidos. Pouco entendo, e menos ainda tenho afinidade com especulação, e não consigo admirar aqueles que extraem os resultados do foco no curto prazo. Mas eles têm um ponto. Ganhe ou perca. Faça rápido.

Velocidade é uma das coisas mais relativas do mundo. Hoje mesmo ouvi de um menino de quarenta e poucos anos que sentia-se velho. Justo para mim… Fiz a conta de juros compostos de uma aposta de duas moedas de ouro na minha infância e qual seria a valorização até os dias de hoje. Ele concordou que sua vida somente começara.

Mandei-o agir. Viver. Dançar. Falar. Pedir. Conquistar.

Lute meu jovem… não importa a escuridão. Teste seus limites… invista… doe a alma… vença a especulação e crie valor.

O Sol vai voltar… forte… quente… e a conta fecha! No fim do ciclo… lá no fim… quando a luz brilhar… a sombra se vai e o amarelo vencerá!

Até a próxima terça…. e será na terça… é uma promessa. Dentro dos meus limites!