Tuesday Caplet em: Imagem não é nada. Timing é tudo!

Focado em alocar o dinheiro em alguma oportunidade de investimento de valor (value investing), olhava com carinho para uma companhia específica: Radio Shack

San Francisco, 17 de Maio de 1985.

Sentado na grama ao redor do Palace of Fine Arts, vendo uma turma de adolescentes andando com seus “roller skates”, Tuesday Caplet lê o LA Times tentando entender o ambiente geral para sua próxima rodada de investimentos.

Ele havia conseguido receber uma boa quantidade de dinheiro ao dar liquidez a um título lastreado em Ouro, recebido em 1788 logo após sua importante participação na decisão de Nova York ratificar a constituição dos Estados Unidos, transformado-se no estado americano de número 11 (Eleven!). Caplet havia recebido este prêmio ainda jovem, mas já muito influente, aos 328 anos. O valor sacado era de aproximadamente US$ 4,2 milhões relativos às 10.000 “onças” de ouro recebidas por ele ainda no século XVIII. (Cotação da onça de ouro: 1788: US$ 19,49 & 1985: US$ 42,22)

Ainda que estivesse preocupado com a situação dos reféns americanos em Beirute, Tuesday confiava no Presidente Reagan e as coisas pareciam que seriam logo resolvidas. Focado em alocar o dinheiro em alguma oportunidade de investimento de valor (value investing), olhava com carinho para uma companhia específica: Radio Shack: RSHQC. Um modelo que vinha se solidificando nos EUA e aproximava as pessoas de pequenas traquitanas tecnológicas e divertidas. Somando a isso as aquisições em iminente estágio de conclusão e integração da Scott-McDuff e Video Concepts pareciam solidificar ainda mais a oportunidade. Lá foi ele: ordem dada. Por intermédio de um de seus fundos, o TC55XXICentury adquiriu 516.000 ações da Radio Shack a US$ 7,75. Agora era esperar. De olhos abertos, como bom investidor de valor!

Melbourne, 26 de Novembro de 1999.

Era madrugada e o telefone do quarto de Tuesday toca. Era seu assessor especial. “Chefe, chefe, acorda! Batemos os US$ 70!”. Ainda que sonolento, ele sabia o que era. Respondeu: perfeito, realize! Os US$ 4,2 milhões haviam se tornado US$ 28,3 milhões. 899% de valorização e a meta de investimento mais do que alcançada. Uma companhia na vanguarda de seu mercado e em sólida posição de liderança. Mas tudo tem seu tempo. Era momento de trocar de posição.

O sucesso deste investimento virou notícia. TC55XXICentury superou as expectativas. Mitigou risco e virou benchmark de stock picking. RSHQC:US valorizou 899% enquanto o S&P 500 acumulou 655% e o DJ Industrial: 755%.

Captura de Tela 2015-11-17 às 11.42.14

A atratividade da companhia ficou tão grande (aos olhos do mercado), que o céu parecia o limite. Ainda em 1999 Radio Shack anunciou alianças com a Thomson Multimedia e Microsoft. Caplet já olhava só de camarote.

São Paulo, 07 de Dezembro de 1999 (Terça-Feira)

Palestra de Tuesday Caplet na FGV reúne cerca de 150 gestores de recursos brasileiros. Ainda atônitos com os efeitos da maxi-desvalorização do Real e de um ano inglório para tomadas de decisão, todos mostravam-se embasbacados com o case do TC55XXICentury. Ao final, em uma rodada de perguntas, um dos investidores questionou: “Parabéns pelo case de sucesso. Agora, justo após a chegada da gigante Microsoft o Sr. decidiu sair de Radio Shack? Não era hora de voar ainda mais alto?”.

Com a serenidade de seus 539 anos bem vividos, ele olha para a platéia e sentencia. “Nem a Microsoft, nem ninguém mudaria meu timing. A ganância fará tudo o que reluz à sua frente parecer ouro, e cada uma das ações derretidas parecerão baratas. É preciso saber quando e as razões de entrada e de saída. Tenha uma missão em seus investimentos. Quando cumprir, siga para a próxima! O ciclo maravilhoso do TC55XXICentury em Radio Shack terminou.”

Nordeste brasileiro, 17 de Novembro de 2015. 

De chinelos e olhando para o seu terminal, Tuesday lembra que após esta palestra, o tal investidor insistiu em comprar os papéis da Radio Shack a cerca de US$ 75,00. Em 12 meses perdeu 46%, em 24 meses 62% e fechou seu terceiro e último ano como gestor daquele fundo com prejuízo de 76%.

Em um momento em que o mercado brasileiro parece oferecer tantas oportunidades, Caplet decidiu dividir um de seus cases mais famosos.

Vale a inequívoca lição que em se tratando de investimentos, Imagem não é nada… Timing é tudo!

Até a próxima terça!